Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quem conta um conto...

por Closet, em 27.12.12

Acrescenta um ponto!

Ainda sobre o Lançamento da colectânea de Contos Avenidas sem Sentido.

Foi um dia fantástico, inesquecível, rodeada de amigos e família. 

E agora? perguntam-me.

Agora ficou a certeza que quero continuar, fazer mais e melhor.

Para já, começo um novo curso em Janeiro e tenho um Retiro de Escrita em Março marcado. E vou por aí...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 02:39

Escrever

por Closet, em 01.11.12

 

 

 

 

Não tenho tido "Tempo".

Chamamos-lhe "tempo" quando mergulhamos numa espiral de apatia e desgaste.

Os gestos rotinizados comandam as horas do dia e a noite seduz num sono profundo, enfeitiçado. Os dias passam, num modo de piloto automático e vou repetindo, para os outros, para mim própria, "Não tenho tempo"... Deixo o silêncio gelado apoderar-se de mim, trespassar-me a pele e rasgar-me a carne. Incomóda-me. Mas não reajo.

 

Sinto falta de escrever. O meu curso de escrita acabou, o meu contovai ser editado numa colectânea de contos, clap clap ... Mas... eu sinto falta de escrever. Escrever compulsivamente, viver nos mundos das minhas histórias,  falar com as minhas personagens imaginárias, respirar fantasia e ilusão.

Ainda que me "falte tempo", vou  participar pelo segundo ano conscutivo no NaNoWriMo e tentar avançar o máxmo no meu projecto-de-romance inciado há 3 anos! Um dia eu acabo!

 

Como dizia Fernando Pessoa:

"A literatura é a melhor prova de que a vida não chega"

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:14

escrita

por Closet, em 25.10.10

O meu curso de escrita é, acima de tudo, um escape, uma fuga, "de e para mim"... era assim que o definiria se mo pedissem. Não me ensinam a escrever, mas a sair de mim, a explorar a minha imaginação, trabalha-la, baralha-la, ir mais além... 

Confesso que cada vez estou mais exigente comigo e não consigo escrever um texto sem o reescrever 300 vezes, as vezes que tiver oportunidade de olha-lo de novo, vou alterar sempre aqui e ali...  e quando volto a lê-lo acho-o sempre terrivel, enfadonho!!

Esta semana vou discutir os primeiros trabalhos: uma história de 5 páginas, e outro sobre pontos de vista... e já estou a encontrar um monte de erros, e já me apetece inventar uma bruta dor de dentes... aiiiii...pronto, eu consigo, eu consigo!!

 

Voltanto à parte boa do curso, e não, não é discutir o que escrevemos (que torturaaaaa)... , hoje escrevemos sobre cores que víamos em musicas. Isso mesmo, concretizar cores na musica. E descreve-las... Eu até me inspiro imenso em musicas, normalmente com letras veja-se, mas traduzi-la numa cor? Lá tive de pintar um cenário para cada melodia. Desde uma criança a saltar descalça na areia quente a construir o castelo dos seus sonhos em beges mesclados, a um senhor idoso, de mãos engelhadas, que via através da janela o entardecer num céu azul pálido... tudo se inventa!

Depois fez-se o mesmo para um quadro, descrever uma cor através de um quadro. Parece tudo estranho, mas saem textos... diferentes, ideias por onde se pode começar a trabalhar! E em 3 minutos, claro!!!

O meu quadro foi este auto-retrato de Rembrant, no postal que me deram o foco de luz estava mas dourado...

 

Um dourado brilhante que atrai o olhar e suga-nos para o canto surdo e sem vida.

Um foco de luz afasta-nos do importante, do que comunica. Dos olhos escurecidos e mortos, da boca inerte e sombria.

Apenas o dourado é pincelado num ponto esquecido do rosto despido e vaziu.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 23:40

Terapia de grupo

por Closet, em 16.03.10

Em Janeiro comecei um curso de Escrita Criativa numa escola no Bairro Alto. Na verdade não conhecia o local, na verdade foi-me recomendado por uma pessoa que eu também propriamente não conhecia... nos conceitos socialmente definidos, whatever... adiante. 

Na verdade nunca me tinha passado pela cabeça inscrever-me em cursos destes, não vou ser escritora, tenho este blog para me entreter, a Fábrica de Histórias para me puxar pela imaginação... Mas, ainda assim, pareceu-me boa ideia. Acima de tudo para estar à 3ªfeira com a minha melhor amiga, quem sabe às vezes ficarmos a beber um copo no BA, pôr a conversa em dia...

Na verdade, ela acabou por desistir... e o único copo que bebi foi com o meu amigo louco que às 3ªfeiras enviava-me mensagens a dizer que ía lá ter comigo. Sim, ele que estava sempre ali algures nas redondezas, rua Bucarest, e coisas assim... pois que lá andei um dia às voltas à procura da dita rua Bucarest... na Roménia, claro...oh God...just me! Mas no último dia fez-me a surpresa e, depois de um dia caótico em que me sentia a pessoa mais infeliz do mundo, foi tão bom ter um amigo à minha espera na Travessa das Mercês... (adorei os Mojitos e principalmente saber que, mais uma vez, se lembrou de mim!).

Anyway, voltando ao curso... confesso que entrei em pânico ao verificar que era a 4ª mais velha (contando com a minha amiga)... até a professora era mais nova que eu...«no panic».... respirei fundo e deslumbrei-me com a transparência de uma colega de 16 anos, linda, loira de olhos claros...

Na verdade, aquele curso revelou-se para mim mais um "Clube de Leitura"... algo que nunca tinha experimentado - ler os meus textos...M-E-D-O... E, como se não bastasse, tínhamos de comentar... assim, dizer coisas sobre os textos uns dos outros... oh God... senti-me numa espécie de terapia tipo Alcoolicos Anónimos.... "Eu, Closet, confesso..." Giiiro!

By the way, ouvir revelou-se um prazer fantástico, e mesmo os comentários desembocavam em conversas soltas, histórias desfiadas, experiência partilhadas...

Terapia ou não... hoje era a última aula, um extra que nos foi oferecido, e como foi adiada... já sinto falta daqueles rostos, das vozes de onde saíam histórias inesperadas. Desde a "locutora profissional" com a sua voz rouca possante que fazia inveja a qualquer leitura, à universitária que lia a 1000 à hora e todos suplicávamos "please, respira", à minha parceira grávida com descrições que nos guiavam por ruas repletas de cores, cheiros e sabores, ao único homem do curso, que pacientemente nos aturava a todas ansiando pelo intervalo do cigarro (pfff, desculpa esfarrapada para fugir dali um bocadinho!!), e nos envolvia em histórias de multiplas personagens, numa mistura de real e fantasia....  

Sim...confesso. Tenho saudades daqueles rostos, das suas vozes... e não sei se hoje estou mais sensível porque fui ao ortopedista e ele acha que eu tenho uma lesão no triangulo xpto, bom, é um afastamento em dois ossos do pulso, whatever... eles estão afastados, poor them... E só vi coxos, e ainda por cima a senhora que fez a minha ficha frisou-me por duas vezes que eu não pagava ali nada com o meu sistema de saude "excepto psiquiatria"... respondi "não preciso disso"... e ela repetiu "mas já sabe que paga"...ok, enough... tive saudades do meu grupinho de terapia das terças-feiras, pronto.

Na verdade, vou fazer um novo curso de escrita a partir de Abril... já que estou embalada, why not? Numa escola que não conheço, com pessoas que não conheço, sem qualquer recomendação... I don't care... a surpresa e o imprevisto sempre me fascinou! Let's do it :)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 21:11


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930


Posts mais comentados