Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Deixo o desejo

por Closet, em 02.06.10

 

«Deixo-te porque te desejo»

e atirou a pedra contra o mar revolto, na fronteira do meridiano onde se encontrava. Podia vê-lo ao longe, noutro meridiano mais afastado.

Atirou-a com força, para a obrigar a afundar-se rapidamente, sem perdão. Atirou-a tão longe quanto conseguiu, que até o seu braço lhe doía. Doía também o peito por dentro, numa espécie de aperto, entre a memória e a solidão. O abandono de um desejo antigo, amarrado, reprimido, fulminante…que lentamente a consumia, desesperado.

Como chagas que se alastram devagar pelo seu corpo moribundo. Como a pedra que se afogava entre as correntes que a empurravam para o fundo. Perdida e esquecida naquele mar. Assim é o desejo que sente, escravo maltratado, numa eterna falta de ar.

«Deixo-te, porque não quero desejar-te mais». Chega! Repetia, enquanto as ondas embatiam raivosas contra as rochas. Iradas, nervosas, num movimento agreste acelerado. Como o seu coração batia, desorientado, ao vê-lo atravessar o meridiano mesmo ao lado.

Que ironia.

«Deixo-te porque não aguento, nem mais um dia, o teu olhar». O desejo híbrido, o impulso voraz, irreflectido, o desejo queima quando não se satisfaz.

«Deixo-te, porque ao ver-te desejo-te, loucamente» Como um golpe infectado, que sangra abundantemente. Precisa de se curar. E imagina a  pedra que se afoga no mar, quebrada, ferida. Morta de vida.

«Deixo-te hoje e enterro todo o desejo de uma noite tardia». Segue em frente. Rasga-se por dentro mas enfrenta-o, com uma frieza e distância que nela desconhecia.

Cruzam-se no meridiano de um olhar perdido. As palavras saem vazias, ecoam difusas, sem sentido. Num cortejo demente, num jogo ridículo encenado. Repete baixinho.

«Deixo-te hoje, e o desejo morre contigo, por ti mesmo envenenado».

publicado às 22:12


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Dina a 06.06.2010 às 15:09


GosteiImage
Por vezes é bom repetirmos a nós mesmos o "deixo-te" porque.....seja quais forem os motivos mas há coisas que têm de partir!
Imagem de perfil

De Closet a 07.06.2010 às 19:57

:) concordo...o "deixar", por mais que por vezes pareça ridíciulo, desnecessa´rio...assustador até, é sempre o abrir caminho para uma nova etapa...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.06.2010 às 01:10

Que texto! Excedeste-te. Como é difícil renunciar a um desejo assim. Que força que é preciso para continuar a repetir "Deixo-te porque te desejo"... e eu diria, para sempre. 
Sem imagem de perfil

De Sissi das Meias Altas a 18.06.2010 às 17:52

Fui eu! Não sei pq apareci anónima.

Bjs
Imagem de perfil

De Closet a 19.06.2010 às 16:27

às vezes sabe bem ser anónima :)
Achas que exagerei? Talvez..Não sei... mas acho que pode acontecer uma situação assim... pelas mais variadas razões  deixarmos alguém que ainda desejamos...porque não tem futuro, porque nos faz mal, porque não é recíproco...sei lá... e o ritual de repetição "Deixo-te" torna-se necessario.
Bjss Sisi
Sem imagem de perfil

De Sissi das Meias Altas a 19.06.2010 às 17:31

O que eu quis dizer foi que com este texto excedes-te todas as minhas expectativas! Para mim, um post com uma força invulgar. O ritual da repetição que evocas só é imperativo porque "aquele" desejo de que falas é eterno. Não acho que seja exagero.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Junho 2010

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930