Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ferida

por Closet, em 14.06.09

curativo-1.jpg image by manutita

 

Normalmente doem, incomodam... enquanto não saram.

Por vezes acontecem por acidente, resultante de um movimento descontrolado, desatento, sem percebermos. Quem já não fez um joelho esfolado?

Outras são provocadas por terceiros, que nos infligem num golpe fortuito ou involuntário. Entalam-nos, pisam-nos, batem-nos...

Há ainda as que resultam de um choque de corpos exaltados, numa desordem de movimentos ambíguos que se interseccionam fatalmente. Nunca sabemos de quem foi a culpa. 

Normalmente doem, incomodam... enquanto não saram.

As feridas formam crostas, que permitem a sua cicatrização. São isolamentos primários que tentam impedir uma infecção. Olhamos para elas aliviados de uma protecção utópica como um colete salva-vidas, mas asfixiante de uma dor corrosiva. A crosta tanto tapa o que não queremos ver, como também nos atormenta a alma inquieta, e perturba enquanto não cicatriza a ferida que, sabemos, lateja por baixo.

Não sei se pelo lugar onde residem certas feridas, se pela sua profundidade, ou se pelo contacto a que estão irremediavelmente sujeitas, existem crostas difíceis de secar. São as crostas falsas que apenas nos querem iludir numa dissimulada aparência sã. São crostas que caem vezes sem conta, e como achas numa fogueira que reacendem-se inexplicavelmente a qualquer momento, estas feridas continuam vivas, incomodam-nos, dilaceram-nos numa impiedosa infecção.

Como fazemos para as curar? É a pergunta de retórica... não fazemos, deixamos elas sucumbirem à sua inexistência, lentamente...como os animais lambem as suas feridas após uma luta, assim vamos tratando a ferida, num silêncio mudo, num vazio dormente e trágico para o qual aquela ferida nos transporta, até ao dia em que ela finalmente cicatriza e dela apenas resta uma marca ténue na pele... Normalmente saram.

 

PS: eu não caí, desta vez, eu estou bem, bronzeada e feliz das férias...isto é apenas um texto...ok?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:09


7 comentários

Sem imagem de perfil

De miúda a 15.06.2009 às 00:57

Um texto em sentido figurado porque dá vontade disso. Não são precisas quedas, cortes ou feridas reais para que se mergulhe num mundo mais pronfundo que isso e se seja invadido por palavras retoricas e de reflexão momentaneas...
gostei do texto, fez me pensar...
Beijinho***
Imagem de perfil

De Closet a 16.06.2009 às 00:49

gostaste porque...percebes do assunto!
beijocas ;)
Sem imagem de perfil

De TheScientist a 15.06.2009 às 23:06

Por falar em feridas... o meu avião de hoje tinha duas, uma delas no motor, tivemos de mudar de aeronave como disse o sr comandante, perdi a ligação, tive de a meio caminho, meia viagem... há feridas piores...
rgds from Amsterdão,
Imagem de perfil

De Closet a 16.06.2009 às 00:52

sim, há feridas piores do que ficar "a meio"!!
Mas seria um ferida irreparável se o avião caísse e ficássemos todos sem ti! Conclusão: mudar ás vezes é preciso, é um mal menor!
beijocas
Sem imagem de perfil

De TheScientist a 16.06.2009 às 14:36

Pois...sim... mas fiquei a meio por uma noite... esta manhã continuei... e aqui estou para aqui deixar os meus...
... rgds from Varsóvia,
:)
Imagem de perfil

De mafalda a 19.06.2009 às 22:23

agora fizeste-me lembrar "o livro do desassossego".
estás bem?
beijinhos.
Imagem de perfil

De Closet a 20.06.2009 às 23:32

estou sim...estas feridas não são minhas... pensava em outras pessoas que me são próximas :)
beijocas

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Junho 2009

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930