Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Eu-professora - Take 2

por Closet, em 04.04.11

Hoje iniciei as aulas de voluntariado pela segunda vez (fica aqui o post do ano passado). Escolhi o mesmo programa  - a Comunidade - e consegui ficar numa escola muito perto de minha casa, not bad! São apenas 5 aulas a uma turma do 2º ano da primária onde pretendo falar-lhes de profissões, do trabalho em série vs o individual, das profissões do Estado, dos Impostos e de como circula o dinheiro (ou, nos dias de hoje, não circula!! uii, acho que vou saltar esta parte!)... bom... vou tentar!

E na primeira aula, assim levezinha, tinha como actividade fazer a caça às profissões, identificarmos negócios e profissões numa comunidade. Até aqui tudo bem... e para aquecimento é meu dever perguntar:

- "E vocês? sabem o que querem ser quando forem grandes?"... Dedos no ar e olhares ansiosos...- "ok, Luís podes responder" digo satisfeita. Resposta imediata e sorridente da criança:

- "Trolha"

... Ok... passei rapidamente para outra criancinha ao lado:

- " e tu Rui?"

-"Demolidor"... What?? 

- "Humm temos aqui um super-heroi" -  gracejei imaginando algo misturado entre o Homem Pedra e o incrível Hulk...

- Não... é demolir pedras grandes com máquinas" respondeu a criança muito séria...

Ok... perguntei se, por acaso, haveria mais alguém da turma a pensar trabalhar na construcção civil... para meu alívio não... deparei-me com profissões igualmente interessantes e de futuro assegurado como "detective", "futebolista", "cantora" e "massagista"... para não falar de "fórmula 1" que também é uma profissão corriqueira, bom, pelo menos tem adrenalina!!

Anyway... passou-se 1h30 do meu dia que valeu cada minuto, 23 criancinhas de olhos brilhantes pediram-me para não ir embora no final da aula, que tinha sido pouco tempo... e ainda não fizemos a aula da fábrica dos Donuts :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:29

Tão longe de ti como de mim

por Closet, em 04.04.11

 

«Agora que o silêncio é um mar sem ondas, 
E que nele posso navegar sem rumo, 
Não respondas 
Às urgentes perguntas 
Que te fiz. 
Deixa-me ser feliz 
Assim, 
Já tão longe de ti como de mim. 

Perde-se a vida a desejá-la tanto. 
Só soubemos sofrer, enquanto 
O nosso amor 
Durou. 
Mas o tempo passou, 
Há calmaria... 
Não perturbes a paz que me foi dada. 
Ouvir de novo a tua voz seria 
Matar a sede com água salgada.» 

 

Miguel Torga 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 22:58


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930