Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Partir

por Closet, em 09.02.11

 

Naquele dia ele tomou o café da manhã, como fazia sempre. Os gestos automatizados, com os olhos pousados na torrada e o pensamento ausente. Já não era ele que estava ali à sua frente. Era apenas um corpo frio, despojado de vida, inexpressivo. Sem sangue a bombear-lhe as veias, sem o perfume de uma noite ardente de prazer. Habitava nele um silêncio profundo, como se tivesse caído num abismo enorme rochoso. Talvez por isso não foi difícil vê-lo partir.

Os seus olhos cruzaram-se pela última vez à porta. Recorda, como se atravessasse um deserto imenso na sua memória, como antes esses olhos a invadiam insaciáveis, percorriam toda a sua pele, que arrepiada explodia de desejo. Desejo... ironicamente ele desejou, desejou «bom dia», por entre os lábios que asfixiavam uma vontade de partir. Uma vontade incontrolável, transparente e crua. «Porque não parte?» pensava enquanto acenava um adeus moribundo. Num ritual triste e fúnebre. «Talvez o último adeus», pensava ao vê-lo afastar-se pela janela.

Naquele dia ele não regressou. Não regressou mais. Como o sangue a jorrar num vermelho intenso, derramando pelo seu corpo inteiro, ele retomou a vida.

Ainda assim ela esperou. Ficou à espera. Porque tinha saudades daquele olhar antigo e penetrante, que sorria poesia.

Esperou pelas mãos que há muito não a tocavam, desapertando lentamente cada botão da sua camisa, numa respiração frenética e descontrolada. Esperou para saciar a fome de tê-lo de volta, voraz, improvisado.

Ele já não voltou. «Partiu» convenceu-se. «Desistiu cobardemente».

Partir sempre foi a forma mais fácil de desamar.

 

(um texto antigo aqui do Blog que reescrevi para o meu cursinho :)... à falta de tempo de escrever só textos para aqui...sorry ...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:45


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728