Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ironia

por Closet, em 21.05.10

Hoje o curso foi sobre a utilização da ironia para dar tensão entre o positivo e o negativo a um texto.

Com ou sem tensão, confesso que a Ironia é o meu estilo de eleição, sai-me às catadupas e sem conseguir muitas vezes evitar...

 

Deixo aqui os 3 exercícios que fizemos :)

 

Carta ao marido quando descobre que ele a traiu durante os 13 anos de casados

 

"Meu querido,

Eu sei que tens vindo a passar por momentos complicados, as constantes viagens de trabalho, as noites de serão no escritório, enfim, tudo para me dares uma vida melhor, para que nada me falte.

Acredita que eu tenho plena consciência que não te tenho dado o devido valor, que estou sempre a dormir quando chegas e ainda te peço noites fulminantes de prazer sempre que chegas extenuado de uma viagem. Sim, querido, eu sei que não te mereço, depois destes anos todos, o teu esforço e dedicação para me dares o que qualquer mulher pode sonhar, jóias, um carro cabriolet, tratamentos de estética, um cartão VIP do ginásio, eu sei lá...Tudo! E tu sempre a trabalhar, sem tempo para cuidares de ti, fazeres aquele tratamento capilar para reduzir a auréola que está a aumentar a uma velocidade galopante na tua cabeça ou uma depilação definitiva aos pelos que povoam as tuas costas. Sabes que não me importo, que gosto de ti como és, mesmo com os 10 quilos a mais que tens e o ralo cabelo grisalho, considero-te um homem atraente e maduro, que exibe sem problemas os seus 56 anos de idade.

Já eu tenho sido uma criança mimada, faço-te birras quando não podes vir jantar, quando não me atendes o telefone sempre que estás em reunião fora de horas, e nem compreendo quando à última da hora cancelas um fim-de-semanaque marquei por que tens de trabalhar.

Sabes, tenho pensado muito eu nós. Em como tenho sido cruel para ti e não tenha sido capaz de retribuir todo esse amor. De tal forma que tenho desabafado com o meu Personal Trainer sobre este assunto, abri-lhe o meu coração (aliás, ele é um rapaz de 26 anos com uma boa envergadura física e muito solícito, mas não fiques com ciúmes, ele está a terminar o curso de psicologia e tem-me ajudado a ultrapassar esta crise interior). Nas sessões que temos tido (e imagina que até já me tem recebido fora de horas em sua casa quando me ligas a dizer que vais ficar a dormir no Porto), acabei por chegar à conclusão que não te mereço, és bom demais para mim. Tenho de mudar. Já não aguento ver a tristeza que trazes nos olhos quando chegas a casa e vês-me amuada, sem te compreender. Porque serei assim tão ingrata? Juro que não sei. Mas estou decidida a mudar. Vou ausentar-me por uns tempos. Vou fazer um cruzeiro pelo Pacífico durante um mês e fazer introspecção sobre a nossa vida. Comprei os bilhetes e levantei o resto do dinheiro daquela nossa conta de poupança, sei que não te vais importar pois será para o meu bem estar. E não te preocupes se me perco em alguma das paragens, levo o João comigo (o Personal Trainer, imagina que ele não se importou e nem me vai cobrar caro), e assim sempre aproveito para manter a minha boa forma física.

Não sei se vou ter rede, mas logo que conseguir eu ligo-te.

Quando voltar espero vir uma mulher diferente e ser a mulher que mereces e com que sempre sonhaste.

Com todo o meu amor, para todo o sempre,

Xana

PS: não te esqueças de levar  cão a passear e dar-lhe comida e água."

 

 

Falar de uma pessoa

 

"Sinceramente não percebo porque colocaram o Ricardo naquela função, está completamente encostado na prateleira. Afinal ele é um jovem promissor, inteligente, tem uma pós-graduação... Se ele não trabalha bem em equipa é porque provavelmente ninguém acompanha o seu raciocínio. Aliás, nem o próprio chefe, por isso é que já quase não lhe dá trabalho. Porque afinal, nas reuniões ele apresenta ideias brilhantes, os outros é que não sabem aproveitá-las.

E isso de dizerem que ele chega sempre atrasado ao trabalho porque anda à noite na borga é pura inveja das suas capacidades intelectuais. O coitado tem imensos problemas com o carro que passa a vida na oficina, aliás é por isso que ele nunca entra nos presentes da empresa, está sempre sem dinheiro. E nas semanas em que ele não aparece ninguém se preocupa com ele, o miserável tem graves problemas do foro intestinal que lhe provocam uma alergia tal que se alastra por todo o corpo deixando-os com tons avermelhados, como se tivesse queimaduras de 3º grau.

Por mais que digam o contrário, eu acho-o bom rapaz e simpático, apenas distraído, por isso é que normalmente se esquece de cumprimentar as pessoas no elevador. E, sinceramente, acho um perfeito disparate quererem obrigar o rapaz a usar fato e gravata quando ele até usa t-shirts de marcas caras, como as Rip Curl, que são sem dúvida mais confortáveis para quem está o dia todo em frente ao computador. Aliás, se há algo que lhe dá prazer e que lhe desperta um sorriso no rosto é o trabalho. Ainda no outro dia o vi a ver fotos de manequins que devia estar a escolher para uma campanha de publicidade."

 

"O meu ruído preferido

 

Adoro almoços de negócios. Aqueles em que se faz conversa de circunstância e, sem conhecer o personagem de fatinho aprumado ao nosso lado, temos de levar com a conversa dele, acenar e fingir convictamente que estamos a seguir o seu discurso enfadonho. Neste almoços vê-se de tudo. Uns falam pelos cotovelos, outros são um túmulo e só abrem a boca para mastigar, na mioria das vezes de boca aberta... Mas aqueles que eu gosto mais são, sem dúvida, aqueles que nos contemplam com estrondosos arrotos enquanto discursam. Confesso que nessas situações tenho a nítida sensação que embarquei numa viagem à pré-história e aquele arroto é como uma conversa com um homem de Neandertal sujo e desdentado, saído de uma caverna.

Como eu adoro a fascinande melodia dos arrotos fortes e possantes, naqueles almoços de negócios."

 

Bom, agora tenho para TPC escrever ironicamente sobre um "tique". Qualquer um... ideias?? são todas bem vindas! Prometo publicar ;)

publicado às 00:07

Parede branca

por Closet, em 21.05.10

No curso que estou a fazer temos vários exercícos, alguns estranhamente despropositados... Este era para pensar em 5 palavras que nos faziam lembrar uma parede branca e depois escrever um texto com elas... sem ter qualquer relação com uma parede.. well, here it is! 

 

 

 

Palavras: Paz, vazio, ausência, luz, frio

 

 

Caminhava nua pelo passadiço de pedra fria. Era assim que se via, a caminhar sozinha no horizonte. Num envolvente invertido, abstracto, despojado de sentido. Sem casas, pessoas, terra ou mar. Nada. Uma ausência de vida abraçava o seu espectro e conduzia-a para um imenso vazio. Uma ausência de sons, de sensações. Um silêncio triste, abandonado ao vento numa melodia cansada de solidão.

Ao longe via apenas uma luz clara, que a encadeava. Num serpentear que a enfeitiçava, conduzindo vertiginosamente para um abismo que em surdina lhe gritava “vem em paz” – uma voz sumida, gelada. Gelada como o passadiço de pedra fria, onde ela caminhava. E continuava, sem parar. Num passo lento, mas ritmado, mecanicamente como um boneco telecomandado. Seguia em frente. Não via nada. Não se lembrava de nada. Na sua memória despida, não existiam rostos, vozes ou sorrisos. Nem sequer sabia se tinha família ou amigos. Não sabia nada. Um coma profundo.

Via-se apenas ali, sozinha, nua, inexpressiva. Totalmente despida. Sem qualquer sopro de vida. Via-se assim, num caminhar gasto, vazio, pelo passadiço frio.

publicado às 00:00


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Maio 2010

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031