Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




About love

por Closet, em 18.02.10

 

Whe you find... just marry her...

 

 

"Love is the only shocking act left on the Planet"

 

 

"About Love... don't think... just do it"

 

 

LOVE can´t be planned

 

 

 

Não fui ver no Dia dos Namorados, não fui ver com o meu "namorado" (mas fui com uma pessoa especial, por quem também sinto amor no seu sentido mais lato), nem foi um serão romântico, mas uma bela matiné de Sábado! Mas...soube-me mesmo bem!

Sou fã do Ashton, so true... e esta personagem dele simplesmente... corta-me a alma...!!

E das 10 histórias, cada uma com o seu "prisma", fico-me pela destes 3... triste mas surpreendente... onde afinal a felicidade pode estar mesmo ao nosso lado sem darmos conta!

 

Comprei um livro aconselhado por um amigo. Achei que seria um excelente pesente de São Valentim para nós os dois, cá para casa, "Ensaios de Amor" de Alain Botton questiona exactamente esse "ser estranho" que se desenvolve em nós sobre o designío de Amor. Desde o encantamento à 1ª vista, à paixão ou obssessão, o 1º beijo, as discussões,a intimidade, o desgosto e as reconciliações.

Ainda não o li todo, confesso, sou rebelde e vou saltando páginas...apesar de existir uma história base bastante simples e agradável que vai demostrando toda a experiência destes sentimentos... mas para não vos cansar (e de facto, já devia estar a dormir há muito, juro que pedi para este ano os dias passarem a ter 30 horas)... deixo aqui uns parágrafos que adorei:

"Os teóricos do Amor sempre desconfiaram, e bem, da fusão, desconfiança essa que advém da impressão de que é mais fácil detectar a semelhança do que descobrir a diferença. Apaixonamo-nos com base em provas insuficientes e depois completamos a nossa ignorância com desejo. Porém (...) o tempo encarrega-se de nos mostrar que a pele que separa os nossos corpos não é apenas uma barreira física, mas a materialização de contradições mais profundas, psicológicas, que seria um disparate tentarmos transcender. Assim sendo (...) ninguém se deve apaixonar á1ª vista". ....

dá que pensar... mas, como o próprio diz "Desde quando é que alguém se apaixona objectivamente?"

"O amor revela a sua insanidade quando se recusa a reconhecer a normalidade inerente do ser amado"

"Visto o corpo ser acessível à vista, a esperança é que a alma seja fiel ao seu invólucro."

 

E com isto vou mergulhar no mundo dos sonhos :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:36


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28