Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Porco Fred

por Closet, em 06.03.09

Sempre sonhei em ter gatos. Mas o meu pai nunca me deixou (até ao dia em que vim de um campo de férias de arqueologia com um no bolso da camisa e… bem…no carro ouviu-se um “miau”…e o meu pai gritou “que é isso??” “…"foi a minha descoberta arqueológica…” Ficou).
Comecei com bichos da seda… mas transformavam-se um borboletas horríveis…Passei para os hamsters, tive 4, Popom e Pantufa, Pompom2 e Pantufa2, original, hein?? Adiante, até porque o último morreu porque o deixei cair da janela, shame on me!
Aos 13 anos convenci o meu pai a aumentar um ‘cadechinho o tamanho do bicho de estimação, e evoluí para o Porco da Índia, que é uma espécie de rato gigante. Pela sua envergadura achei que devia ter um nome “à séria” e chamei-lhe Fred.
Na 1ª consulta de veterinário para fazer a sua ficha perguntaram o nome. Eu, que broto palavras mais rápido que a velocidade do vento, nem pestanejei e disse “Frederico *****” nada mais nada menos que o meu apelido, está claro! O meu pai fulminou-me com os olhos e soltou um “querida, o rato não é da família” e assim o pobrezinho ficou a chamar-se "só" Fred…
Não conformada com a discriminação do bicho, Eu, teenager esperta, achei que o rato tinha de ser letrado e, nem mais, levei-o à escola. Why not? E lá ía o rato assistir às aulas à tarde de electrotecnia, o prof adorava animais e assim lá me ía dando positiva à disciplina sem eu nunca ter acendido um circuito eléctrico. Who cares?? O rato era um verdadeiro sucesso na escola.
E não suficientemente contente por o rato ser barra em geradores e fusíveis, achei que também tinha o direito de andar em transportes públicos, e lá o levava comigo de autocarro. Mas não ía numa gaiola, não senhora, aquele rato nem tinha nada do género… se eu detestava estar enclausurada porque é que iria fazer isso a um bichinho?? Andava à solta pela casa e nos transportes ía confortável dentro da manga do meu blusão de ganga! Isto até ao dia em que uma senhora gritou horrorizada “está a pingar da manga…” escusado será dizer que saí de rompante na saída seguinte…e o blusão foi para lavar, claro!
O rato era uma companhia interessante, e para o ter perto de mim enquanto estudava colocava-o em cima de um banco com uma borracha na cabeça…como ele tinha medo de saltar ficava paralizado naquela “ilha”, quietinho sem se mexer e com a dita borracha em cima (ainda hoje tenho remorsos por isso, que raio de ideia a minha!).
Mas a verdade é que o rato morreu num Inverno e de velhinho, mesmo tendo resistido numas férias em casa dos meus avós a um buraco na barriga, provocado por uma borbulha que rebentou de uma picada de um mosquito, porque ele teve de ficar a dormir na capoeira dos coelhos… pobre bicho, não sei porque não o deixaram ficar dentro de casa??? Foi uma tourada procurar urgências veterinárias por terras da Figueira da Foz…e by the way o meu pai tentou convencer-me que ele era aparentado de coelho e que vivia ali feliz com eles... No way, regressou comigo para Lisboa!
E foi assim a história do meu porco Fred. Hoje sonhei com ele por isso resolvi partilhá-lo aqui!

publicado às 12:15

Fim de tarde

por Closet, em 05.03.09

 

E com tanto desafio o meu textito pessoal passou para o dia seguinte, é fair, primeiro as obrigações (que linda frase, pena eu raramente a cumprir!!). Mas até calha bem porque amanhã à noite tenho um aniversário... já cá fica qualquer coisinha ;-)

 

 

Fim de tarde

Tenho saudades de um fim de tarde assim

Um por do sol, um copo, uma conversa

Enterrar os pés na areia, sentar-me em frente ao mar.

Um fim de tarde sem planos, inesperado

Sorrisos, palavras, olhares, gargalhadas,

sem pressas ou complicações.

A vida passa tão rápido, rápido demais.

Há, já houve, fins de tarde assim.

Tão simples como inesquecíveis

Convites insólitos, imprevisíveis

e que não se voltam a repetir,

mas que é bom recordar.

Olho para a janela e vejo a chuva a cair.

E só sonho com um fim de tarde assim.

Um por do sol, um copo, uma conversa

Enterrar os pés na areia, sentar-me em frente ao mar. 

 

Tinha prometido não ouvir mais esta música que, confesso, dá-me nós nos estômago.. mas olhem, apetece-me hoje, só hoje, tá? Afinal a temperatura baixou e até é agradável um encostozinho ;-)

 

publicado às 00:34

Desafio 3 - True or false

por Closet, em 04.03.09

E porque não há duas sem três... aqui vai disto acabadinho de sair do forno da Mafalda :)

Tenho de dizer seis verdades acerca de mim e três mentiras! Será que conseguem descobrir as mentiras? Ok, se decobrirem digam baixinho, sim??

1 - Quando tinha 6 anos parti uma TV a fazer o pino e escondi-me debaixo da mesa da durante 1 hora :)

2 - Já vivi em 6 casas diferentes desde que nasci :)

3 - Já convidei uma pessoa que mal conhecia para fazer massagens e fiquei a gostar dela

4 - Mesmo quando está frio gosto de dormir com os pés de fora :P

5 - Num campo de férias em Espanha um cigano leu-me nas cartas que morria nova e louca :S

6 - No secundário fui eleita 2 anos consecutivos Miss Simpatia 

7 - A maior paixão que tive era de Coimbra, apelidado de Jim Morisson, e ía lá visitá-lo todos os fins-de-semana, férias e feriados :-*

8 - Sempre gostei de desenho geométrico e o meu estilo preferido é o cubismo :)

9 - Passei uma noite inteira a falar com uma pessoa sobre coisas que não me lembro e ela depois disso nunca mais quis estar comigo :(

 

 

Pronto. Missão cumprida again!!

Queridas MissM, muida, 'Na e Umdiadepoisdooutro podem entrar no confessionário que eu arriscarei a adivinhar as vossas mentiras!! 

publicado às 23:26

Desafio 2 - Obsessões

por Closet, em 04.03.09

Este também vem da Mafalda e consiste em revelarmos 5 obsessões apegos e/ou manias. Estes então é dificil... só 5??

Cá vai:

1 - Boinas no Inverno e chapéus no Verão

não me perguntem porquê mas sinto-me confortável com qualquer coisa enterrada na cabeça até aos olhos... um psicólogo provavelmente tiraria algumas conclusões desta minha pancada... eu sei... e por isso fujo deles ('Na tu és uma excepção, claro! Mas não precisas de pensar neste assunto, sim??)

2 - Saltos altos ou compensados

ténis só para desporto e até as minhas havaianas são compensadas. Sorry, mas não conformo com o meu 1,58cm :)

3 - Rímel

não saio de casa sem colocar, ando sempre com um na mala e até tenho à prova de água para o verão e para a neve... é que as minhas pestanas são loiras e não se vêem, acho :(

4 - Phones e o meu caderninho

já não passo sem eles nas minhas viagens diárias de comboio, são momentos só meus que aprecio e preciso, de tal forma que às vezes até finjo não ver pessoas conhecidas!

5 - Escrever aqui e ler os blogs que gosto

confesso que se tornou numa pancada grande... logo se vê quanto tempo dura ;-)

 

Pronto. Missão cumprida!

Queiram por favor falar sobre as vossas obssessões, ... já agora fico a conhecer-vos um bocadinho melhor =D

publicado às 23:03

Desafio 1 - Mudar

por Closet, em 04.03.09

 

Não sei se é moda mas andam aí muitos desafios e eu alinho, pois está claro, why not?

A Mafalda e a Cloudy passaram este desafio que consiste em enumerar 5 coisas que mudaria em mim. Não é difícil não senhora! Pois aqui vai:

1- Sardas,sardas e mais sardas

sorry, eu sei que há malta que adora, muito provavelmente quem não as tem a brotar aos quilos como eu...well, ofereço as minha a quem quiser e ainda pago!

2 - Cabelo encaracolado

eu estico-o sempre e até fica bemzinho... só este tempo de chuva é que está contra mim...hoje parecia uma criatura do espaço...e ainda há malta que elogia para gozar connosco...humpf!

3 - Menos 2 a 3 kgs

No matter what, fica sempre bem dizer isto...e já agora que desapareçam na zona das coxas, sim???

4 - Menos 10 anitos, sff

eheh, e que bem que eu ficava outra vez com 24 anos...! essa é que era!

5 - Agir antes de pensar

faço-o constantemente e gostava mesmo de alterar a ordem... é que se ás vezes até me saio bem, na maioria a coisa não corre lá muito bem... wonder why? 

 

Vá... passo a varinha de condão a:

'Na

Umdiadepoisdooutro

miuda

MissM

aproveitem!

Tags:

publicado às 22:25

Loirices 2

por Closet, em 03.03.09

Os relogiozinhos estavam a dar cabo de mim... giravam demasiado e ver "Lisbon" a piscar a toda a hora também me estava a irritar... já sei que estou em Lisboa, não preciso que esta coisa me avise...

Just in case coloquei antes um globo, o geoweather só dá Paris, by the way, está Fog como a minha amiga umdiaaposooutro pode confirmar, já que se encontra lá e me assegurou que foi a responsável por ter uma visitante de França, confesso que fiquei mais descansada...agora a criatura dos States é que me faz espécie... será que devo escrever em inglês para me entender??? esta coisa ainda vai dar cabo da minha cabecinha loira :) who cares??

O globo é giro,  e também gira, o que dá uns enjoos é certo, mas pelo menos não me lembra que estou em Lisboa e lá vou sonhando com Bora Bora!!

Confesso que a coisa mais engraçada disto tudo é ler as keywords que levam os cibernautas a aterrarem neste blog. Se "sardas" é a palavra mais procurada, já outras frases levam-me ao completo delírio. Desde "sonhar com absorvente" what?? scary crazy people...  a "fazer figuras de animais com toalhas de rosto em turco"...oh God... como é que isto veio dar aqui???

Bom, ainda há gente esperta que procura isto na google "há homens que têm a mania que sao intelectuais"...e curiosamente vem dar aqui...estranho...EU nunca diria tal coisa ;) Mas que os há, há!!  Na verdade até é um bom tema para um post, eheh...amanhã, talvez!

Ponto. É tudo.

publicado às 23:49

Loirices

por Closet, em 02.03.09

Confesso que sou preguiçosa... só me esforço em aprender o que realmente me apetece e quando me apetece. É um defeito, bem sei, mas como sou loira tenho sempre a desculpa e ninguém me censura.

Já há algum tempo queria dedicar um tempinho aqui ao Blog, gostava de colocar um layout só meu, aprender a colocar uns selos na barra lateral, uma foto no perfil (não minha evidentemente, senão choviam e-mails =D),...e até aqueles contadores online que vejo por aí nos outros blogs... isso. 

Este fim-de-semana aventurei-me um pouco e lá consegui qualquer coisinha, a foto que parece o mais básico não consigo de todo give up, o selo da Fábrica de Histórias já aqui está, e lá me inscrevi em 2 ou 3 contadores... whatever, nem sei bem.

A verdade é que tenho aqui um contador e uns relógiozinhos a girar. Não sei bem para que servem sem ser para dizer as horas, anyway, é igual em cima e em baixo... mas pronto.Aquilo gira. Também ainda não percebi para que serve as letras a passar "Lisbon" a toda a hora,  e "Portugal 2" "Brazil 1" como se fosse um jogo de futebol, nem tão pouco porque aparece malta aqui a procurar por "nódoas de gravatas"... who cares?? Just in case, hei-de fazer um post sobre isso, já que até tenho jeito para tratar de roupa!

By the way, tinha primeiro colocado aqui uma coisa que aparecia o endereço de IP, não que eu sequer soubesse o que isso significasse, mas era um número comprido, pareceu-me bem, dava um certo charme... até que me disseram que aquilo era o endereço do meu PC ou da minha ligação à internet, whatever, desconectei logo a coisa, no way, tenho medo dos piratas malucos entrarem por aqui a dentro... a menos que seja o Johnny Depp, esse é bem vindo, always;-)

E pronto, é assim a minha relação atribulada com a informática, um verdadeiro desassossego, acho que temos problemas de compatibilidade de ADN, deve ser isso.

Assim deixo-vos com os relógiozinhos a rodar, se enjoarem avisem... posso mudar para a meterologia, só me chateia que nunca aparece Portugal e eu estou-me nas tintas para o tempo que faz nos outros países... mas pronto, é para ser diferente.

E como hoje estou a ouvir estes senhores, aqui vai!

Agora sem o IP também sou "impossible to find", eheh

publicado às 23:28

Algumas

por Closet, em 02.03.09

GeodoAmetista.jpg picture by Dama_do_Lago

Imagem retirada da Internet

 

Às vezes desiludo-me com pessoas. Não todas. Algumas. As que me deixam iludir com elas. Seja como for, a desilusão é sempre uma areia movediça que nos suga assustadoramente. Reajo mal a este sentimento. Petrifico. Transformo-me num rochedo vulcânico, escuro, feio. Não me reconheço. Fujo de mim. 

Talvez para me proteger, fecho-as numa cápsula opaca para não as ver mais. Acredito que desapareceram. Já não me alcançam.

Assim, dou por mim a guardar dessas pessoas as memórias de tudo o que um dia gostei delas. Elas ficam em mim pelo carinho que partilhámos. Guardo o seu sorriso, o seu olhar, os seus gestos e as suas palavras. Sorrio ao pensar nelas. Não lamento nem me queixo. Sigo em frente. No meu caminho elas já não se cruzam.  

 

Assim é esta música que adoro:

Um hálito de música ou de sonho, qualquer coisa que faça quase sentir, qualquer coisa que faça não pensar.” Livro do Desassossego, Bernardo Soares

publicado às 21:33

Fábrica de Histórias

por Closet, em 01.03.09

 Máscaras

- Pssst...logo às oito?

- Sim, no mesmo lugar.

Todos os dias eles usavam a mesma máscara. Segura, perfeita, castradora, desfeita.

Ela foi-se aperfeiçoando, adquirindo consistência e cor, foi-se moldando com alegria e dor.

"Só mais um dia" diziam enquanto se beijavam. Mas os dias passavam,  meses seguiam, e as máscaras permaneciam.

Todos os dias passavam um pelo outro...sem se falar. Tinham a máscara, que tanto os fazia sorrir como sufocar. Havia dias em que um queria ceder. Queria gritar, parar de sofrer. Assumir tudo, sem medo, com paixão. Mas... nesse dia, o outro recuava, dizia que não.

E continuavam ridiculamente mascarados. De dia eram estranhos, à noite namorados. Uma vida dupla, um teatro inventado. Ela para ele não existia. Ele era seu empregado.

Os sonhos eram partilhados em longas noites de amor, mas na manhã seguinte já não havia calor. A máscara era colocada, e cada um seguia o seu caminho. Como um filme inacabado, um ficava sempre sozinho. Porque a máscara os perseguia, como um escudo protector. Nela não transpareciam sentimentos, não surgia a palavra amor. E cada um fazia o seu papel, como todos os conheciam. Ninguém imaginava a intimidade que só os dois sabiam.

Eles foram-se conhecendo, partilhavam sonhos e ilusões. No seu refúgio secreto, arriscavam a vida por emoções. Olhavam-se nos olhos, tocavam-se com desejo, abraçavam-se com ternura, respondiam com um beijo. Um cálice de vinho tinto, uma lareira a arder, enrolados num sofá macio, esperavam a vida acontecer. 

Sempre que podiam, eles fugiam. Largavam tudo a correr. Viviam numa montanha russa, umas vezes a subir, outras a descer. Eles não tinham tempo a perder.  

Um dia as máscaras vão cair. Eles sabem, mas preferem não falar. É mais fácil seguir o guião do que o tentar alterar. Assim vivem a sua história, sem planos, pressões ou ideais, com segredos e desejos abafados, por máscaras reais.

Texto escrito para a Fábrica de Histórias

 

 

publicado às 21:51

Pág. 4/4



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Março 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031