Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Silêncio

por Closet, em 31.03.09

«És como um grande silêncio…

És como um grande silêncio sobre a minha vida.
Um silencio imenso, amável, medonho.
Não é temor que eu tenha de falar,
é silêncio de óleo flutuando,
amaciando todos os contactos. Não vejo
senão melhor os gestos e a amargura
Da multidão que se desfaz, regressa,
tão numerosa e frágil, só este mais aquele,
este cruzando-se com aquele, agora ou nunca.
Um grande silêncio de imagens conhecidas,
de subtis, difusas transparências,
adivinhadas e entendidas na mesma paisagem do mundo.
Um abismo irremediavelmente preenchido.
Não é que já não valha a pena.
Nem que não haja um sentido nos vazios signos.                                              
Nem que eu me abandone.
Nem que eu me deteste.
O amor. Um grande silêncio.
Uma ironia ao canto dos lábios. Tudo.
Amas-me e és como um grande silêncio de morte,
que nas veias para sempre me corria,
a esvair-se angustiosamente agora tranquila
pelo fino golpe da lâmina
algures em mim sangrando os fins da vida.»
Jorge de Sena

 

 

Não estou em baixo, isto não é nenhum desabafo...don' worry... (é terrível ter de me explicar)... este é apenas um poema que eu gosto!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:48

Afastem-se

por Closet, em 30.03.09

Arrancar e parar num décimo de segundo, à entrada de uma rotunda e ainda por cima sem vir um único carro... eu sei que não está proibido pelo código da estrada... mas então não se queixem se apanharem com um carro por trás! Haja bom senso...e decidam-se.

Eu ando em maré de azar é certo, já ando a acender velinhas, no Sábado fui à igreja e estou a pensar seriamente em fazer uma sessão espírita, sei lá, whatever... mas efectivamente nunca tinha batido.... 

Encostámos os carros e o velhote sai com a rapidez inerente à sua avançada idade...ok, fui ajudá-lo a sair do carro porque uma artrite aliada ao reumatismo crónico não permitiam...oh God...só faltava dizer-me que eu lhe tinha provocado danos na coluna...

Sacou de um lenço de pano que tinha no bolso, com aspecto meio ranhoso e cor azul cueca, ugh, mas enfim... e desatou a limpar a sua lustrosa viatura...na verdade o carro era ...bem, não sei porque não percebo nada de carros, mas era novo, grande e cinzento, metia o meu 107 num chinelo... by the way... não havia um risquinho na bomba do senhor... já o meu tinha a matrícula com uma amolgadela... e mais um encaixezito partido que o maridão fez questão de notar à noite, who cares??

Não sei se pelos nervos, se por ter uma tara por limpezas, o senhor abanava a cabeça sem dizer nada e continuava a limpar a viatura que, a qualquer par de olhos sem miopia e cataratas, parecia ter acabado de sair do stand...

Bom, lá lhe fui praguejando, que não se arrancava e travava de seguida na entrada de uma rotunda, que era perigoso, blá blá blá... não me ligou nenhuma e estive quase para lhe arrancar o lenço da mão e limpar também o meu carro, sob pena do lenço passar a cinzento...

Como o velho não me ligava nenhuma, disse-lhe "olhe, o seu carro está óptimo de saúde, melhor que nós os dois juntos, por isso vou-me embora". Voltei para o carro e arranquei. So what??

Claro que os meus dois passageiros no carro estavam em estados de espírito divergentes, se o mais velho sofria por antecipação e já se dizia maldisposto com o forte embate em 1ª, a uma distância de 1 metro,... já o mais novo perguntava "bateste mumy? quando? onde?"...vê-se logo quem é que sai a mim...wonder why??

Anyway, com o meu azar ultimamente, estou seriamente a pensar colocar um catrapázio no carro a dizer "AFASTEM-SE, QUE EU BATO".

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:35

Fábrica de Histórias

por Closet, em 29.03.09

Escolha programada

Tiiiiii. O meu cronómetro avisava-me. Estava na hora. Abri a janela e sentei-me na minha skymoto. Em 10 segundos cheguei ao local. Tinha recebido a mensagem há duas semanas e desde então não pensava noutra coisa. Pesquisei nos perfis disponíveis o que me interessava. Não sabia bem. A minha mãe dizia-me que antes não era assim. Que se conheciam na rua, na escola, num café. Agora tudo era diferente, para uma saudável evolução humana éramos separados na escola, não era permitido frequentarmos os mesmos locais. Só a partir dos 18 anos é que podíamos ter contacto. Fazíamos o registo na rede, enviámos a impressão digital e um scanner óptico e, depois de aceites, marcávamos tudo através do nosso User. Eu tinha escolhido um homem de cabelo loiro, olhos azuis, 1,80cm e 75kg. Dos 20 compatíveis com o meu perfil escolhi um ao acaso. Era hoje o dia tão esperado.Chamavam-lhe o Casulo, um lugar privado onde homens e mulheres podiam conhecer o seu par.
Encostei a mão e olhei para o visor. A porta abriu-se e entrei ansiosa numa sala ampla. Um holograma de uma senhora sorridente apareceu “Bem-Vinda ao Meeting Point, suba para a plataforma e será teletransportada para o casulo durante 42 horas ”. Num ecrã pendurado no tecto passavam imagens de Dhepa. Era lá o casulo. Subi para aquele cubículo de 3m2. Ficou escuro por segundos. Voltou a luz. Olhei maravilhada a imagem de uma praia ao fundo. Abri o fecho do meu fato branco de vinil. Estava calor. Subi para o jetboard e fui levada em direcção a um edifício espelhado. O meu intra-auricular dizia-me para seguir em direcção à porta YB7. Entrei.
O quarto tinha uma cama redonda suspensa e um ecrã na parede. Da janela via-se a imagem da praia. Ele estava junto à janela, alto, de blusão azul. Mas o seu cabelo era escuro e desgrenhado. Voltou-se, olhou para mim com uns olhos castanhos profundos e sorriu. Fiquei deslumbrada com a espontaneidade do seu sorriso, com o brilho dos olhos na sua face morena. Tive a certeza que, se pudesse voltar atrás, escolheria exactamente um homem assim.
- Devemos estar trocados – disse-lhe a sorrir.
- Achas? Porquê?
- Eu escolhi um homem loiro de olhos azuis, deve haver um engano.
Os olhos dele deixaram de sorrir e perderam-se de novo na imagem da praia.
- Que pena… Eu escolhi exactamente uma pessoa como tu, de cabelos castanhos, olhos escuros e pele clara. Escolhi uma pessoa doce e meiga. Pensei mesmo que eras tu…
Fiquei com um nó no estômago.
- Desculpa…fui bruta. Acho que devem ter-se enganado e vão descobrir a qualquer hora... Mas já que aqui estamos, podemos conhecer-nos?
- Conhecer? Para quê? Se eu não estou no teu destino. Tu não me escolheste. Mas tenho a certeza que eu escolhi-te a ti. Que confusão é tudo… e agora não sei como irei esquecer-te.
Ele tinha despido o blusão e apercebi-me da estrutura perfeita do seu corpo… que burra não ter escolhido um homem exactamente como ele… se soubesse… se pudesse escolher de novo. Mas só podemos escolher uma vez. Este encontro é o nosso futuro, um óvulo fecundado para, no momento certo, gerar-se um filho. Mas só nasceria quando fosse necessário. Havia uma ordem. Tudo estava programado. Só não estava programado aquele encontro trocado. E agora, o que fazíamos?
Respondi-lhe com a sinceridade com que tinha sido programada.
- Sabes, agora que olho para ti, gostava mesmo de ter-te escolhido.
- Porque não o fizeste? resmungou baixinho.
- Talvez seja mesmo assim. Talvez nem sempre se encontre o nosso par ideal. Ou então o ideal não existe e vivemos todos numa enorme mentira.
- Mas tu és o meu ideal...
- E tu também és o meu, mas eu não sabia...Nós estamos aqui agora, este momento é nosso, só nosso...não queres arriscar?
Voltou-me a sorrir, encolhia os ombros e piscava-me o olho.
Talvez o nosso destino seja esse mesmo, não ser programado.
Colocou os braços à volta da minha cintura e puxou-me para ele. Enfeitiçou-me com o olhar, invadiu-me com o seu cheiro, golpeou-me com o seu beijo. Tudo nele era perfeito. Programámos a luz para ser noite e a cama para flutuar junto à janela. Programámos uma melodia para embalar os nossos risos. Programámos os nossos corpos para se entregarem sem fronteiras. Adormecemos exaustos nos braços um do outro, sem saber onde começava a minha perna e onde a dele acabava. Tudo era tão pouco. Percebi, naquele instante, que o amor não está programado, na sua essência ele é inesperado.
Acordei com o ecrã a piscar, a lembrar que o tempo tinha terminado. Abri os olhos e vi, atordoada,  que tinha um homem loiro sorrindo ao meu lado.

(Texto escrito para a Fábrica de Histórias).

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:58

Ela e Ele

por Closet, em 28.03.09

Enquanto estou para aqui a magicar a história desta semana...aquela que acaba o prazo amanhã às 00h00 e eu hei-de publicar às 23h55, shame on me!... deixo uma conversa Ele e Ela, em que ela é loira, claro...e ele é um convencido, lógico!!

(ao telefone)

Ela: Perdeste a formação.Agora sou eu que vou ter que te ensinar...

Ele: Estou sempre disposto a aprender, darling. Especialmente quando são mulheres
loiras a ensinar, torna a coisa…humm…como é que hei-de dizer…rara!
Ela: Olha, só sou loira no cabelo, ainda por cima fajuta, por isso não torna a coisa assim tãoooo..... rara. Quando voltas?
Ele: Não estou preparado para voltar, o tempo está óptimo e estou com um bronze invejável!
Ela: Acho melhor voltares.Há mais uma formação e explicações intensivas com homens bronzeados podem ser, como é que hei-de dizer... humm...complicadas!

E para não vos deixar a história a meio, 'bora lá arranjar um desfecho.: ele voltou, mas não veio assim tãoooo bronzeado... porque os banhos de lua ainda não bronzeiam =D

 

E acabadinho de ser "recomendado" por um amigo, aqui fica uma música de um grupo que não conhecia e quando inseri o link que me enviou ainda pensei que tivesse a ver com a marca de roupa Boss...just me!!...sorry! Aqui fica amigo, não consegui arranjar a letra... mas já ouvi 3 vezes... e não me parece mal ;-)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:53

Sonhos

por Closet, em 27.03.09

Just to say…é este o poema do dia do meu poemário. LOVE it.

Na verdade Alberto Caeiro é o meu heterónimo preferido pela simplicidade dos seus pensamentos… pode não parecer mas eu sou uma pessoa simples, que sonha com coisas ainda mais simples. É bom sonhar!

 

Todos os dias acordo com alegria e pena.

Antigamente acordava sem sensação nenhuma; acordava.
Tenho alegria e pena porque perco o que sonho
E posso estar na realidade onde está o que sonho.
Não sei o que hei-de fazer das minhas sensações,
Não sei o que hei-de ser comigo.
Quero que ela me diga qualquer coisa para eu acordar de novo.
Quem ama é diferente de quem é.
É a mesma pessoa sem ninguém.
Alberto Caeiro, Poesia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:53

Invejoso

por Closet, em 27.03.09

Eu não me meto com ninguém. Quero dizer… às vezes meto, mas não faço exigências … porque motivo um estranho sai do carro no trânsito, bate-me no vidro e diz-me que pintar as unhas a conduzir é proibido??? Com o susto ía deixando cair o pincel no meu casaco branco… grrr

1º) Estávamos parados numa recta, avançado um metro de cada vez (corria sérios riscos de adormecer)
2º) As minhas unhas estavam uma miséria, com as pontas todas estragadas e eu tenho um jantar hoje…
3º) Nunca vi nada no código da estrada sobre verniz (não é que eu seja um exemplo de sabedoria automóvel, a bem dizer costumo telefonar ao meu pai a perguntar o que quer dizer alguns sinais, whatever)
4º e último) Ninguém tem nada a ver com o que eu faço no meu carro, é meu, está em meu nome, ok??
Bom, fechei o verniz, abri o vidro e com um sorriso nos lábios respondi à criatura “É que faz parte da minha terapia matinal snifar verniz tóxico”. Coloquei os meus óculos escuros pretos quase do tamanho da minha cara e arranquei. Criatura maldisposta numa 6ª feira de sol…só porque não lhe fica bem besuntar-se com verniz, não é socialmente correcto num homem… invejoso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:51

facebook

por Closet, em 26.03.09

A vida e feita de coincidências...

Estava eu ontem aqui a escrever sobre o facebook, a lamentar-me por não ser uma agência de modelos ou pelo menos algo relacionado com moda e ... trás...cai-me do céu um artigo da Visão sobre Socializar on-line...não pensem que escrevi para lá a lamentar-me do facto de ter adicionado dois estranhos aos meus contactos...não, não..simplesmente alguma alma caridosa resolveu escrever exactamente sobre o assunto , e ainda bem!

Pois que agora, letrada no tema, posso afirmar que faço parte da maior rede social virtual que existe...ehehe, este facebook parece que tem 124 milhões de pessoas inscritas na coisa..ahhh vocês não estão? Vá, toca a aderir e by the way podem anexar-se ao meu mural (não, não é um muro mas o nome da página de perfil..) que eu agradeço... é que não conheço mais vivalma que tenha aquilo...e com tantos milhões até parece mal só ter dois amigos...sendo que um deles efectivamente não conheço...oh God! Aquilo é giro, só confesso que não achei graça ao dizerem que é o brinquedo dos trintões...bom, adiante.

Aprendi uns termos giiiiros como "hash", uau... e já fiquei prevenida contra eventuais convites para estas coisas, ainda não estou no myspace, twitter e orkut,... esta última no way, parece que tem muitos indianos... com a minha sorte adiciono-me logo a um que apanha um avião para me vir conhecer... credo!! Também descobri que a Linkedin também é uma rede destas, na qual estou cansada de receber convites,. já me inscrevi à força... não dá para recusar convite do director... mas, para variar, já não sei a password e não consigo entrar naquilo, paciência!

E assim me divirto na Net! Anyway, gosto mesmo e de escrever por isso este cantinho aqui está perfeito. Comecei a escrever para os amigos, a acabei por arranjar novos amigos, lucky me! Sou maleável, adapto-me com facilidade, ao meu jeito próprio, very soft...just me!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:21

Loirices 3

por Closet, em 25.03.09

Sou um perigo tecnológico. E não digo isto de ânimo leve. É que sou mesmo. E o que me vale é que me rio sozinha com as minhas loucuras...

Isto de abrir um Blog já foi assim...muito à frente. Na verdade até ao momento nunca tinha sequer aberto um e-mail com o meu nome, aha...e consegui logo um jeitoso..sem dúvida quando há motivação a malta esforça-se, adiante.
Depois fui fazendo progressos com o blog e hoje tenho aqui o globo a girar, o contador de visitas e de  IPs, whatever it means...e by the way inscrevi-me noutras coisas que não consegui colocar aqui, give up, e assim estou para lá inscrita e já nem sei as password daquilo...who cares??
Estes meus atentados ao mundo cibernauta já passaram por actualizações do MSN...confesso que só utilizo aquilo há meses e com 5 pessoas entre elas dois primos adolescentes...shame on me! Depois das ditas actualizações andei à nora à procura da caixa de e-mail...oh God agora tem um envelope ao cantinho e eu não vi...
Também tive um convite para o Hi5..Hi quê? Para que é que isso serve?? Ok...
Bom, mas o melhor foi há uma semana, mais ou menos, uma amiga minha convidou-me para uma coisa assim muito gira, muito à frente, chamada Facebook... confesso que achei que tinha alguma coisa a ver com moda e fiquei entusiasmada...ela insistiu para eu me inscrever...by the way, não tem nada a ver com moda...grrr publicidade enganosa...
Bom, com algum esforço lá me inscrevi naquilo, coloquei uma foto e, assim out of nowhere, surgem dois supostamente “meus amigos” com a mensagem pling “foi enviado convite para serem seus amigos”...”what???oh shit...” fiquei em pânico... na verdade até conhecia um, tem um blog que eu costumo comentar, mas sinceramente nunca pensei em convidá-lo para ser meu amigo naquela “agência de modelos cibernauta”... no mínimo deve pensar “freak”.... A outra criatura...bem, ainda é mais grave, é uma mulher, não reconheço o nome nem tem foto, uma verdadeira desconhecida a quem eu, simpaticamente, dirigi o convite para ser minha amiga...freak, freak, freak!
Bom, hoje recebi o e-mail a informar que o “meu amigo” tinha aceite o meu convite...ok... tenho lá o “book” dele...ok... a minha amiga quando descobrir vai fazer 500 perguntas “quem é este?de Aveiro? como o conheceste?”... é que na verdade só tenho lá os dois...dá um bocadinhozinho nas vistas...
Por isso, não me enviem mais convites destes, sff... eu acabo sempre por me inscrever para as pessoas não ficarem zangadas comigo e depois perco as passwords todas, para além de queimar os meus neurónios a perceber como funciona a coisa, é que sou teimosinha... e, para mal dos meus pecados, inevitavelmente faço disparates... wonder why?
See you later ;-)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:30

Lua

por Closet, em 25.03.09

Olá Lua!

Isto é só uma brincadeirinha para a minha colega que me espreita aqui diariamente e que está para ali a  cantarolar a olhar para o telemóvel!! shame on you!!

Eheh, got you!

psssst ela é tímida ;-) beijocas aluadas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:11

Emaranhado

por Closet, em 24.03.09

Dou por mim constantemente a desembaraçar o fio dos meus phones. Faço-o num gesto mecânico, desprovido de sentimentos. Vou passando o fio, para a direita, por dentro, por baixo. Vou tentando, sem grande esforço ou raciocínio. 

A vida também se enrola por vezes de tal forma que não sabemos para que lado devemos puxar. É frequente puxarmos para o lado errado. É inevitável ficarmos naquele emaranhado, perdidos, atados. Enrolados cada vez mais. A vida é uma enorme confusão.

Olhares sedentos que invadem, sorrisos incontidos reagem. Monólogos surdos. Não compreendes. Ou finges que não. Dizes que és simples. Eu complico. Tenho a sensação que não comunicamos. Andamos aos encontrões.  

 

Como ando numa de Lenny..não não vou a este concerto...shame on me!! Mas aqui fica uma música que adoro "Can''t get you out off my  mind"

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10

Pág. 1/4



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Março 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031