Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Free Pleasures

por Closet, em 19.02.09

A Mafalda deixou-me mais um desafio, e devo dizer que desta vez é fácil fácil e consiste em dizer 10 coisas completamente grátis que mais gosto.

Naturalmente passei à frente o chocolate preto porque o empregado do supermercado continua a insistir para eu pagar 1,80€ por ele...e a cerveja Bohémia ainda não jorra da torneira, ainda... haja fé!

Bem, qualquer trapito ou par de sapatos terá obviamente de ficar de lado :)

....sendo assim, deixando o importante de lado =)... aqui vai:

- Rir à gargalhada e sorrir com coisas irritantemente disparatadas, adoro e ainda não me cobraram por isso

- Cantar e dançar, com os meus filhos, com os meus amigos, sozinha

- Desenhar e pintar... com material oferecido, claro ,-)

- Ouvir música, sentada na areia a olhar o mar

- Ler e escrevinhar textos que gosto

- Pedras que encontro pela rua mas que, por alguma razão, me cativam

- Dormir ao sol, eu sei que faz mal, mas adoro

- Fazer amor, nunca paguei nem me pagaram, acho que isso seria sexo

- Beijar, já roubei alguns beijos, mas nunca os paguei! Sim, sou caloteira!

- Olhar quem gostamos nos olhos, às vezes é tão íntimo como fazer amor, despe-nos assustadoramente, por isso se foje de muitos olhares... mas é grátis, acho!

Pronto, afinal em tempos de crise ainda posso ser feliz!!

Passo o desafio às minhas amigas que ainda não fizeram, se quiserem claro!

'Na

miúda

MissM

Umdiadepoisdooutro

 

publicado às 22:55

Deste...gosto!

por Closet, em 19.02.09

A Mafalda e a Cloudy ofereceram-me este mimo.

Obrigada!

Se querem rir um bocadinho, posso dizer-vos que, até hoje, para colocar aqui uma imagem andava às voltas com as fotos do Sapo, grava imagem no PC, passa para fotos Sapo, transporta para aqui... uma trabalheira.... até que hoje, por algum bafo divino, tive a brilhante ideia de fazer simplemente Copy do blog da Mafalda e Paste no meu Blog. Devia ter fotografado a minha cara perplexa quando vi que dava...oh God, Just me!

As coisas mais básicas passam-me ao lado... invento demais, vejo o que ninguém vê, ligo o complicómetro...!

 

Para além de retribuir às duas, tenho todo o gosto em oferece-lo aos seguintes blogs que gosto de ler, que me fazem rir, pensar, sonhar:

'Na

miúda

MissM

Um dia depois do outro

Cobradeira

Cleopatramoon

Bagaço amarelo

Coisas de gaija

...e outros tantos que costumo bisbilhotar!

E como o nome do prémio diz...desta Música eu também gosto! Muito.Oiço quase todos os dias... Crazy ,-)

 

 

 

Tags:

publicado às 22:00

Pior sonho ou melhor pesadelo?

por Closet, em 18.02.09

Há sonhos que nos perseguem obsessivamente, de tal forma que se tornam verdadeiros pesadelos. No início são agradáveis, inofensivos, relaxantes, divertidos. Mas com o passar do tempo vão-se tornando descontrolados, viciantes, incómodos, irritantes. A sua suposta transparência transforma-se numa névoa gigante confusa, como uma areia movediça que nos puxa e sufoca. É nessas alturas que nos apercebemos que já não é um sonho, mas um pesadelo. Ainda que arrebatador, aparentemente atraente, ele consome lentamente a alma e aperta o estômago. Então queremos acordar daquele estado inconsciente, para constatar que era apenas um sonho, ou um pesadelo. Para sentir que temos poder sobre ele, que ele não comanda a nossa vida e o nosso humor. Tentamos constatemente fazer restart.

Às vezes passam-se dias sem nos perturbar, e num misto de ansiedade e loucura, paira sobre nós a agradável sensação de estar a salvo, uma leveza infinita percorre-nos ingenuamente o espírito. Gozamos por segundos minúsculos o paladar da independência, ainda que perplexos e desencantados com o vazio que nos deixou.
Até que o sonho volta novamente, a avivar a nossa mente, a lembrar pormenores esquivos e controversos que lutamos por apagar. Cada vez mais completo e definido, ele vem furtivo para nos torturar. E mesmo assim, há dias em que inexplicavelmente não queremos acordar. Queremos fugir, queremos voltar, queremos vivê-lo sofregamente, e, em simultâneo, conscientemente não o queremos aceitar. Porque é inviável e absorvente, instintivo e brutal. Mas é um sonho, definitivamente o pior sonho ou, talvez, o melhor pesadelo que poderíamos sonhar.
 
Adoro estes dois, adoro esta música...

 

 

 

The Scientist - Colplay

Come up to meet you, Tell you I'm sorry
You don't know how lovely you are
I had to find you, Tell you I need you
And tell you I set you apart
Tell me your secrets, And ask me your questions
Oh let's go back to the start
Running in circles, coming tails
Heads on a silence apart
Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh take me back to the start
I was just guessing at numbers and figures
Pulling the puzzles apart
Questions of science, science and progress
Do not speak as loud as my heart
And tell me you love me, come back and hold me
Oh and I rush to the start
Running in circles, Chasing tails
Coming back as we are
Nobody said it was easy
Oh it's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be so hard
I'm going back to the start

publicado às 23:25

autoclismo

por Closet, em 18.02.09

Nem sempre o dia começa como nós desejamos, na verdade, há dias que nem começam nem acabam como nós desejamos. Eu acabei o meu dia de trabalho às 19h a fazer pesquisas sobre economizadores de autoclismo... um produto giro que, não sei porquê me pareceu apropriado para um projecto green onde ando metida. Na verdade, pareceu-me tão giro como ridículo, que acabei por gostar dele, why not? No meio de tanta coisa ridícula que me circunda, o economizador de autoclismo não me pareceu assim tãoooo ridículo, e para ser franca o projecto está no início e eu já me sinto completamente green com ele... só a palavra green faz-me lembrar...o sporting e eu sou do benfica, faz-me lembrar sapos que eu engulo todos os dias e a própria expressão engolir sapos também me irrita, faz-me lembrar uns ténis verdes que gostei um dia numa fotografia que também me irrita,... e hoje, para ajudar, senti-me mesmo no triangulo das Bermudas, eu, o green e o economizador de autoclismo, confesso que nestes dias tenho a estranha sensação que a minha vida dava um filme...whatever.

Anyway, é bom saber que amanhã saio acompanhada por um super-herói e um vilão. Sinceramente não sei para que lado vacilo mais ,-) 

publicado às 21:01

Coisas que faço

por Closet, em 17.02.09

... e que me orgulho

chegar a casa às 21h00 como hoje, depois de faltar à fisioterapia again, estoirada do trabalho e...ouvir os meus ninjas falarem (eu disse falarem?) ininterruptamente em simultâneo enquanto me puxam para mostrar isto e aquilo e à e tal, "deixem-me só pousar a mala"... n'um dá, ok, vamos lá por o CD do Panda e dançar o Ursinho Gummy...e lá danço à volta da mesa como uma tribo índia (afinal havia fichas de avaliação com Muito Bom a todas as disciplinas=D)

...e que aborreço os outros

"Não é esse o cartão" diz-me por cima do ombro um sujeito depois de eu estar 30 segundos a passar no dispositivo contactless para abrir as portadas inteligentes do metro o meu cartão do trabalho. Confesso que isso acontece-me aí umas... 10 vezes por semana... Pior ainda quando deixo cair os pacotes de açucar vazios que tenho enfiados na minha bolsinha amarela porta-cartões. Não passo, não deixo passar ninguém e chego mesmo a bloquear o sistema e a ter de passar colada ao vizinho de trás. É vê-los a bufar e a perder a cabeça...

Hoje um senhor gentil debruçou-se também para o chão, não sei bem se por ter gostado da linda cor dos meus olhos, se por estar com pressa e querer mesmo que eu lhe desaparecesse da frente... whatever! Quando agarrou um pacote ficou espantado e deixou escapar "era isto que guardava?" como se estivesse a falar de um lenço de papel ranhoso (by the way já entreguei um em mão a um empregado de mesa para colocar no lixo e parece que fui a vergonha dos meus amigos...shame on me, juro que não estava ranhoso, só amarrotado)... Arranquei-lhe o pacote da mão e disse "é e acredite que este é difícil de encontrar" e virei-lhe as costas. Era o pacote "Um dia danço contigo no meio da rua", saiu-me só duas vezes e dei o primeiro, no way, não perco aquele! Gente insensível!

...que não consigo evitar

Dou por mim constantemente a virar para o lado errado. Uma rua de sentido proibido, a saída de metro fechada, a porta que eu empurro e é para puxar, às vezes até me apetece entrar na rotunda pelo lado contrário só para não ter de dar a volta inteira à rotunda...na maioria das vezes até sei de cor o caminho, sei que não é por ali, sei que tenho de puxar... sou distraída, demasiado, e não consigo evitar.

...que detesto

não dizer ou fazer aquilo que me apetece... dá cabo de mim e passo a vida a engolir sapos. E by the way esta expressão também não me agrada. O que quero dizer é que passo a vida a "passar à frente", move on, para não me chatiar. Bom, confesso também que me apetecia responder à letra a e-mails parvos de alguém dez anos mais velho que eu, que nem sabia o nome, a dizer que estou bonita... com a minha pancada da idade tento acreditar que aquilo é uma saudação de pai para filha, faço a minha cara 26 sorridente e para todos os efeitos nunca recebi tal mail... siga.

...que adoro

falar e escrever. Falo pelos cotovelos e escrevo como falo, sem pensar muito, o que sair sai! E é bom até no trabalho trocar e-mails com os colegas a brincar com as maluqueiras do dia-a-dia, tenho vários colegas divertidos e até nisso dá para escrevinhar e rir "bora lá tomar um cafezito que já estou a dormir" é o meu mail preferido, estilo código morse, com uma colega que adoro e me ajuda a passar o dia ;-)

e por falar em escrever... sou a 2ª feliz contemplada do Desafio da Fábrica de Histórias... Whish me luck! Já tenho comigo os ficheiros para continuar e até estou com vontade de meter férias para me dedicar aquilo! Até comprei u caderninho novo para ir rabiscando! Vamos lá ver se não vou matar alguma personagem, ou engravidar outra, ou arranjar uma traiçãozita!! eheh You'll never know... vai-me custar é ficar tanto tempo à espera para saber o desfecho que a história vai levar... mas não sou curiosa, vou aguentar! Até lá sou um túm ulo! É que falo pelos cotovelos, mas, normalmente, deixo o mais importante por dizer ;-)Just me!

Como diz o poema

"Vê se podes entender aquilo que não te digo

Dava tudo por saber, porque maldito castigo

Deixo o melhor para dizer, sempre que falo contigo

Mas qual! Nasci para ser o meu maio inimigo!

Vê se podes entender, aquilo que não te digo!" Jaime Lúcio

 

publicado às 23:21

2 ou 12?

por Closet, em 15.02.09

Confesso que desde os meus 12 anitos gostei do dia dos namorados. Principalmente nessa altura, em que me dava ao luxo de ter 2 ou 3 apaixonados em simultâneo e desdobrava-me em encontros e cartinhas para cada um deles... e o que me divertia com a confusão!

Bom, hoje tenho só mais... 22 anos... sou casada há quase... 9 anos e tenho.... dois filhos de 7 e 3 anos....  é.... diferente!
Admito que, com o casamento e a idade, continuei a insistir em postais com umas palavras meladas, sempre é uma desculpa para dizer uma série de lamechices que só neste dia os homens têm paciência para nos ouvir....mas os jantares e pequenos mimos foram tornando-se ... diferentes... e dei por mim nos últimos anos a comprar lingerie para mim, just in case... era o presente dos dois ,-) E lá ficava feliz com mais um conjuntinho calvin klein ou intima cherry, why not??!
Este ano não comprei nada, mas fui agradavelmente surpreendida por um programa “love is in the air” que me inundou os e-mails há duas semanas. O destino era Évora e pareceu-me bem! Bom, na verdade não era propriamente um programa a 2, mas a 12. São só mais 10, é só um 1 antes do 2. E então? Sendo que metade do grupo tem entre 2 e 7 anos... foi um fim-de-semana animado!
Animado foi também o jantar num restaurante conhecido da terra (sim, porque o que poupámos nas promoções “estadia especial dia dos namorados”, gastámos nas refeições com o verdadeiro pecado da gula). Aos 12 juntaram-se mais 3, e não, não era um triangulo amoroso dos tempos modernos, mas um casal com um bébé de 3 meses feliz pelo convívio.
Tivemos sorte porque nos reservaram uma sala praticamente só para nós (wonder why?)... A mesma sorte não tiveram os dois casalinhos de namorados que partilharam a sala connosco. Enquanto o gabiru dava uma tostinha à boca da donzela, passava-lhe uma loiraça de 2 anos por debaixo da cadeira, "Olá!". E os segredos que partilhavam romanticamente ao ouvido eram invariavelmente repetidos aos berros, com o choro do bébé que, à e tal, já era hora do leitinho! E by the way, quem ia à casa-de-banho ainda tinha a sorte de brincar ao quarto escuro, à e tal parece que era a brincadeira da noite dos ninjas mais velhos... crianças, e então? Não nos expulsaram do restaurante, é um facto, mas estamos convictos que ficámos na lista negra, mais um, who cares?
O que interessa é que esteve um fim-de-semana lindo de sol, carregou-se as baterias, comeu-se migas, arroz de lebre, polvo assado, bebeu-se caipiroskas, margaritas e um vinho magnífico Encostas do Enxoé (quê?? foi uma “gaja” que escolheu e ficou tudo a olhar de lado... pois é BOM), a criançada adormeceu lindamente nos sofás do bar, mas esteve sempre connosco. No way, não os largamos! Namorámos todos, uns com os outros, com os nossos filhos, com os nossos amigos, com os nossos maridos/mulheres. E isso é, também, celebrar o Amor!
By the way até recebi este ano um postal surpresa que diz “Tu és a faísca da minha vida” Obviamente, Sorri... n’um disse que era tudo uma questão de corrente eléctrica?!!
 
PS: E nos próximos tempos só como alface, sim?? e de volta para o ginásio, ok? Adoro estar de dieta, eheh! Fica-os bem, sei lá ;P

 

Tags:

publicado às 22:59

Amor é...

por Closet, em 12.02.09

 

Mafalda passou-me um desafio, apropriado ao dia de S. Valentim, e que consiste em:

- escrever a definição de amor

- passar a 10 blogs

- comentar nos blogs a que passaram o desafio

- mencionar as regras

Confesso que este desafio é o mais difícil até hoje. Primeiro porque sou péssima em definições, eu sou mais o género "indefinida", sorry, e como sabem... 10 blogs... não sei se arranjo... mas salto esta regra e prontos, multem-me ,-)

Na verdade podia escrever para aqui uns disparates sobre o assunto, eles até jorram da minha cabecinha sem autorização...mas teria de estar efectivamente inspirada... e hoje o dia lindo de sol não foi capaz de superar uns problemazitos informáticos no trabalho e que me fizeram faltar à fisioterapia again... whatever...Mas não gosto de desiludir e aqui estou Eu.

Conseguia efectivamente escrever definições de "atracção", "paixão" ou "obsessão", mas sinceramente não sei definir "Amor". Refiro-me ao amor que une um casal. O amor de mãe-filho, ou de filha-pai, ou de irmã, ou de melhor amiga, não tenho dúvidas: é incondicional, supera qualquer dificuldade, e assenta na entrega total, na ajuda, no companheirismo e na compreensão. Já o amor que une um casal... sou uma nódoa, não faço um boi de ideia, e acho tão difícil de definir como acertar no euromilhões...Nunca fui dada a dramatismos, nem a declarações de "vou amar-te para sempre"... só a frase "para sempre" assusta nos dias que correm. Por isso eu preocupo-me mais com o Hoje, o Aqui e o Agora, e assim, sem grandes complicações, quero mesmo é sentir-me feliz.

Ontem recebi um e-mail com um texto de uma revista, a Cloudy reproduziu-o no Cenas de Gaija , sobre o título "As mulheres têm fios desligados", achei graça por conheço quem diga que nós temos botões no pescoço... mas parece que os fios ligam-se a botões...ahhh... Anyway, entrei na casa-de-banho do trabalho e a luz está a piscar, o meu portão eléctrico continua a teimar em abrir aos soluços, o candeeiro do meu quarto tem a lâmpada fundida....então realizei: é tudo uma questão de corrente eléctrica.

Mafalda, aqui vai a definição digna de qualquer aula de electrotecnia (note-se que foi a única disciplina em que eu nunca consegui ter positiva nem mesmo acender uma lâmpada num circuito eléctrico...deve querer dizer alguma coisa...who cares?).

O AMOR é... energia

Ele funciona numa relação onde existe um gerador (que são os sentimentos que alimentam a relação), uma carga (a lâmpada que guia o circuito) e um interruptor (o responsável por manter acesa a relação, que TEM de estar ligado). Num circuito os fios têm de estar correctamente ligados. Mas mesmo assim, por vezes há picos de tensãosobrecargas eléctricas e levamos choques. É preciso colocarmos fusíveis nos locais certos. Por segurança, o melhor é ter ligação à terra!

E será que existem circuitos eléctricos que funcionem eternamente, sem curto-cicuitos, lâmpadas intermitentes ou fundidas?? Isso já não sei, sorry - não sou engenheira ,-) 

Passo o desafio aos seguintes Blogs, se quiseram, claro!

'Na

miuda

MissM

Umdiadepoisdooutro

Cobradeira

Ki

 

publicado às 22:38

Fábrica de Histórias

por Closet, em 12.02.09

Sem pés nem cabeça 

Eles frequentavam um curso todas as terças e quintas, depois das 18 horas.
Ela inscreveu-se para não enfrentar em casa um casamento apagado, ele ía para evoluir numa carreira em que não estava interessado. Ambos estavam lá pelo motivo errado, por destino sentados lado a lado.
Uma conversa, uma piada, olhares e sorrisos e, de repente, sentiram-se atraídos.
Trocaram e-mails do trabalho. Trocaram dois beijos na despedida. Trocaram as mãos. Trocaram as voltas à vida.
Os e-mails começaram, primeiro um, depois dois, três, quatro por dia, num viciante jogo de ping-pong, quando um atacava, o outro defendia. Primeiro falavam do curso, depois de assuntos banais, depois desabafos, piadas, ironias, coisas inventadas, coisas reais.
Ele deu-lhe o seu telefone. Ela dizia que não o queria. Apagou-o tantas vezes, voltou a escrever. Até que percebeu que já não o conseguia esquecer.
Telefonou por tudo, telefonou por nada, zangou-se com ele. Pediu para não lhe telefonar, depois amuou por ele não lhe falar. Ele falou. Foi falando sempre. Ás vezes divertido, outras indiferente.
Encontraram-se na praia, beberam um copo num bar, estiveram sentados na areia, até a lua chegar.
Num encontro inesperado, ele não a conseguia encontrar, ela foi ao seu encontro, sem sequer imaginar. Uma cerveja gelada, uma conversa para distrair, ela levou-o a casa, ele convidou-a a subir.
Uma casa vazia, uma cama desfeita, um beijo esquivo na despedida, uma química perfeita.
Ela fugiu confusa, sem saber o que fazer, arriscava a sua vida segura, procurava casas para viver. Ele rodopiava em círculos sem saber o que sentia, queria estar com ela? Ou não queria? E enquanto esperava bebia.
Ela voltava para casa, com as lágrimas no olhar. Mas recebeu uma mensagem dele a convidá-la para dançar. Ela não queria ir, mas acabou por voltar.
Uma música de fundo, uma conversa melada, corpos entrelaçados, até de madrugada.
Ela deslizou dos seus braços como um pássaro ferido, nesse momento sabia que já o tinha perdido. Ele deixou-a partir, num adeus amargo e frio. Apenas ficou entre ambos um desconfortável vazio.
No dia seguinte não falaram. Nem no outro, nem depois. Como se tivesse sido um sonho, vivido estranhamente a dois.
Conversas surdas, diálogos mudos. Seguiram a sua estrada. Nenhum quis assumir que estavam numa encruzilhada.
E nunca mais se encontraram, ou falaram sobre o que cada um sentia. Mas continuaram sentados, lado a lado, como os estranhos do primeiro dia.

(Texto escrito para a Fábrica de Histórias)

 

 

publicado às 00:04

Fonte de Amor

por Closet, em 10.02.09

Hoje só passei por aqui para agradecer o mimo que a minha amiga Cloudy me ofereceu. E sim, a orla prateada à volta brilha, acreditem, se fizerem um esforçozinho.... ok, aqui não brilha, podem ver no blog da Cloudy, sff.... eu estou há horas a tentar passar a imagem com os brilhosinhos mas.. N'um dá, sorry! Give up.

Ser Fonte de Amor é sempre um prazer... nada como jorrar coisas boas, positivas, que nos fazem sorrir e nos proporcionam momentos de felicidade... neste momento apetecia-me jorrar... uma sandálias Prada ou Dior com 12 cm de salto...por exemplo! Ora vejam que não me ficavam mal, não senhora!

Mas pronto... vou jorrando palavras... ando aqui a magicar a história sem pés nem cabeça para a fábrica de histórias desta semana, já que passo o fim-de-semana fora tenho de publicar até 5ª feira. Na verdade, quando vi o tema pensei: muitos episódios da minha vida dariam excelentes histórias sem pés nem cabeça... mas lá vou jorrar amor para vocês... talvez amanhã se estiver in the mood ;)

E resta oferecer este mimo às minhas companheiras:

Cloudy, jorra as bicharadas todas que eu adoro e choro a rir =)

Mafalda, jorra estados de alma, repletos de música e poesia :)

'Na, jorra roupas fashion e devaneios da mente, eu acompanho ;)

miúda, jorra desabafos incompreendidos que está aqui um par e olhos para te ler (eu ponho os óculos para não distrocer!!)

MissM, jorra boa disposição e já agora manda vir o sol!!

Umdiadepoisdooutro, jorra música, muita música que todos precisamos dela ;)

Cobradeira, jorra as maluqueiras do trabalho, dos chefes e dos colegas, para a gente se rir =)

E agora vou jorrar esta música para vocês!

 

 

Tags:

publicado às 23:52

Sou uma cor

por Closet, em 09.02.09

Hoje comprei a revista Elle de Março. Sim, Março, porque uma das formas das revista superarem a crise é provavelmente anteciparem-se à concorrência, e vai daí em Junho já teremos a edição especial de Natal...who cares??

A capa com a Gisele entusiasmou-me, bem como qualquer coisa que diga "Moda", e é sempre bom saber que cada revista contradiz a anterior, e nesta parece que afinal o estilo da nova estação será Pop Rock e Country, whatever... vou estudar aplicadamente, prometo!

Bom, deparei-me com um artigo da rubrica elle psico, com certeza de base super hiper mega científica, que diz "Eu sou uma cor". Pareceu-me bem. Na verdade porque concordei com o que estava escrito sobre a minha cor, porque se não concordasse, goodbye Elle, já estava no caixote do lixo! By the way não comprei em NY um livro giríssimo sobre a relação das cores com os dias de nascimento só porque não gostei do que dizia do meu dia... no way, refaçam a edição e depois eu compro! Se é para gastar dinheiro... que digam bem de mim, sff ;)

Pois que o amarelo é a cor preferida de 5% das pessoas, onde eu me incluo, claro... e ao que parece a maioria é homens... mau... começou mal. Adiante.Transcrevo:

"Se adora amarelo pertence à categoria dos livre-pensadores. As fãs do amarelo são muito tolerantes e abertas em relação às outras pessoas. Gostam de conhecer todo o tipo de pessoas e não abdicam da sua independência. Isto não significa que não saibam amar intensamente quando acham que vale a pena. O estilo laiser-faire parece ter sido inventado de propósito para elas. A sua vida assenta na alegria e na jovialidade. Pensam e agem com rapidez, o que para as outras pessoas pode, erradamente, confundir-se com impetuosidade. Quem prefere o amarelo não esconde o seu optimismo. Estão em luta constante com quem é obstinado e se preocupa demasiado". 

Sinceramente acho que foi escrito para mim... tirando aquela partezinha de pensar com rapidez... até no estilo "laisser-faire" acertaram!! E se há coisa que dá cabo de mim é malta complicada e teimosa... mas esforço-me, quando acho que vale a pena.

No meio da minha leitura telefonei à minha Best Friend e li-lhe a minha cor. A dela é o verde (mais propriamente o verde-limão mas esse pormenorzinho não existia). Acho que é a cor das pessoas-geodos... aquelas que, como diz neste artigo científico "numa observação mais atenta, vemos que esconde muita coisa. (...) Não lhes conseguimos resistir. Apoiam-se nessa característica e transmitem uma sensação de equilíbrio. Mas por vezes tornam-se demasiado sentimentais, até melodramáticas.(...) procuram sempre encontrar um ponto de vista simples e estimulante que lhes permita ter uma visão positiva do mundo". Pareceu-me bem...embora para ela eu acrescentava muito mais coisas maravilhosas, como uma calma e sensibilidade deslumbrante e uma doce fragilidade de sentimentos que se encontra por debaixo de uma redoma de vidro. São pessoas lindas de se descobrir!

E vai daí perguntámos ao marido dela, já com o telefone em voz alta , qual era a sua cor.... "Branco" diz ele radiante... viro e reviro as páginas e upsss "N'um há....".

"N'um há?" pergunta ele estupefacto, é que é arquitecto e percebe mesmo da matéria... "Branco é cor, procura lá." ... Comecei "Há azul, cinzento, verde, cor-de-rosa, encarnado, castanho, amarelo e ... preto". "PRETO?" pergunta ele outra vez..."preto não é cor, preto é ausência de luz". Aí o engenheiro aqui de casa entrou na conversa e defendia com a sua vasta cultura de polímeros, cabos eléctricos e caldeiras fabris em constante manutenção... "Branco é ausência de cor". E continuava "Com mistura de cores pode chegar-se ao preto mas não se pode chegar ao branco". Ser ou não ser cor - eis a questão. A confusão instalou-se... mas eu e a Best Friend estávamos na boa, afinal NÓS tínhamos cor, eles é que não tinham, que se amanhem... Eu admito, não entendo nada do assunto, agora, sinceramente, colocarem o cinzento, aquela cor meio-termo e enfadonha, e não colocarem o branco... não me parece bem. Depois puz-me a pensar, daquela forma veloz que me caracteriza e ahhh... já sei, deve ser por existir tanta gente cinzentona, lá se lê umas larachas agradáveis sobre a personalidade do cinzento, que são fléxíveis, discretos, neutros, há pois claro... não se definem, é o irritante meio-termo, what else?... num gosto :P

Bom, e muito mais haveria a dizer sobre as cores, se quiserem eu envio aqui pelo blog a descrição das outras cores, podem perguntar. 

E lá vou deitar-me ainda numa discussão interessante sobre as 7 cores do arco-íris onde obviamente não há o branco "já viste lá o branco?" pergunta como se o arco-iris estivesse todos os dias escancarado à minha porta... oh God...Just in case vou enviar uma notinha para a Elle sobre o facto de se terem esquecido do Branco, para o meu amigo dormir mais descansado, mas não digo nada ao maridão, shiuuu, ele tem sempre razão, está claro... esta gente das revistas não entende nada de cores e só faz confusão...

Para todos os amarelos e também para os geodos verdes fica aqui esta música linda, afinal amarelo e verde fundem-se na perfeição ;)

Yellow - Coldplay

Look at the stars,
Look how they shine for you,
And everything you do,
Yeah, they were all yellow.
I came along,
I wrote a song for you,
And all the things you do,
And it was called Yellow.
So then I took my turn,
Oh what a thing to have done,
And it was all Yellow.
Your skin
Oh yeah, your skin and bones,
Turn into something beautiful,
Do you know?
You know I love you so,
You know I love you so.
I swam across,
I jumped across for you,
Oh what a thing to do.
'Cos you were all yellow,
I drew a line,
I drew a line for you,
Oh what a thing to do,
And it was all yellow.
Your skin,
Oh yeah your skin and bones,
Turn into something beautiful,
Do you know?
For you I'd bleed myself dry,
For you I'd bleed myself dry.
It's true, look how they shine for you,
Look how they shine for you,
Look how they shine for...
Look how they shine for you,
Look how they shine for you,
Look how they shine...
Look at the stars,
Look how they shine for you,
And all the things that you do.

publicado às 22:56



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728