Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Serenatas em barcos de papel

por Closet, em 25.04.11

 

Fizeste-me serenatas em barcos de papel. 

Tão frágeis, quanto loucos, deixei-me levar sem perceber. Eram serenatas de amor, à deriva num oceano imenso, embebidas em promessas vãs. E, mais uma vez, sonhadora acreditei. Perdi-me. Perdi-te. Entre mares de contradições, afoguei o meu coração. 

Eu já devia conhecer essas palavras ridículas com que encantas e incendeias desejos. Não mudaram, são as mesmas promessas, a desmesurada paixão. Já devia esperar o final sem medo, a tua fuga e a minha desilusão.

Eu sei que não mudaram essas palavras poéticas, efémeras, que ouvi novamente, sedenta desse amor que nunca apaguei.

Ainda não sei porquê, mas precisei de ouvi-las. As serenatas em barcos de papel, onde, mais uma vez, naufraguei.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:57


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930