Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fábrica de Histórias

por Closet, em 09.09.10

Matar-te com um Beijo

 

Eram de cetim aveludado, os lençóis que cobriam o teu corpo quente, abandonado, entrelaçado, no meu. Não sabes que os comprei para esta noite, que a planeei, minuciosamente, na minha mente. Tudo para ti. Cada pormenor, cada detalhe, cada jeito. Para que tudo fosse perfeito. E agora que estou aqui, deitada no teu peito, a vaguear o olhar deleitada, enquanto estás a dormir. Gosto de ver-te assim apagado, sereno, com o cabelo despenteado sobre a minha almofada, ainda transpirada. Gosto e te ter atravessado na cama ao meu lado. Como seria bom ter-te sempre aqui. Gostava que me amasses, como te amo a ti.

Até o gato se encosta a ti. Estendido ao comprido, parece rendido, também viciado no calor que emana o teu corpo musculado. E até o seu pelo longo dourado, reluz e ele parece que sorri.

Recordo a noite que amargamente programei. Como que a rebobinar o que sonhei. O vinho tinto frutado que bebemos naqueles copos de pé alto que guardo só para ti. O jantar que preparei com as minhas mãos, a cebola que cortei em lâminas finas, translúcidas, como tu gostas, para um refogado exemplar. Faço tudo para te agradar. Cortei-a então devagar, em movimentos ritmados, violentos e irados. Acabei por não chorar. Julguei que iria fraquejar.

Decorei a mesa com todo o requinte. Os guardanapos vermelhos bordados, a toalha de linho de um branco imaculado. O faqueiro há muito tempo guardado, com as facas afiadas a reluzir. Reflectiam a chama das velas que ardiam nos candelabrosde ferro pesado. Olhei em volta e sorri ao imaginar-te encantado.

Chegaste à hora marcada e eu esperava-te nervosa com aquele vestido que me deste de cetim, vermelho e decotado, só para usar em noites assim. Gostavas que desfilasse devagar, sentavas-te no sofá e ficavas deslumbrado, só de olhar para mim. E eu desfilava lentamente, largando no chão peça por peça, dançando enfeitiçada por ti.

Também o gato correu à porta desenfreado. Também ele sentia saudades tuas, doentias, latejantes com um golpe voraz, como se o sangue não bombeasse as veias quando não estás. Ambos ficamos aninhados no sofá frio, apertando os corpos no vazio, de não te ter cá. Por isso ele foi a correr, lambeu-te a mão e roçou nas tuas pernas enlouquecido. Era parecido comigo.

Afastei-o para te abraçar também, inspirei o aroma do teu perfume, inebriada escondi a dor do ciúme e deixei os teus lábios deslizarem ávidos pelo meu pescoço, percorrendo o meu corpo morto. Gostava que me amasses como te amo a ti.

Agora que estavas a dormir calmo, sobre a minha almofada transpirada. Agora que ainda sentia restos do teu corpo dentro do meu. Tudo em mim estremeceu. O odor do prazer que fustigava os meus sentidos embriagados. Não sabia o que fazer. Os copos de vinho pousados na mesa de cabeceira, e as garrafas vazias enroladas nas roupas, já frias, espalhadas pelo chão. Aquela era a derradeira ocasião. Em que avançava, sem pensar. A dormir não me conseguias enfrentar.

Afasto-me então devagar, com cuidado para não te acordar. Piso descalça o soalho gelado, mas um ranger de tábuas fazem-te mexer. E eu suspendo a respiração, fico paralisada, nua num quarto vestido de solidão. Abres os enormes olhos azuis, aqueles mesmo com que me trais, e afagas o pescoço do gato, que ronrona deliciado, e perguntas-me “onde vais?”.

Atiro-me para o teu corpo cansado e desarmo-te com um beijo extasiado, de travo doce-amargo. Trinco o teu lábio satisfeito. Devoro cada centímetro do teu peito e mato-te ali mesmo, no meu leito, com o guardanapo bordado. Sufoco-te de prazer. Depois deito-me ao teu lado, sabendo que nunca mais estarás acordado, nem o teu coração vai bater.

Gostava que me amasses com um beijo, sentisses o mesmo desejo que eu. 

Outro amanhecer.

 

esrito para a Fábrica de Hstórias sobre o tema "uma música", escolhi "I'd love to kill you" da Katie Melua.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:21


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Stroby a 10.09.2010 às 11:38

Lindo. A descrição de momentos é um fascínio para mim, mais do que narrar uma história, saber mostra-la por palavras é fascinante.
Parabens..:)
Imagem de perfil

De Closet a 11.09.2010 às 12:10

obrigada! esta música inspira um momento âmbiguo entre a razão e a loucura, mas não me correu assim tão bem ao tentar passar o que imaginei para palvaras...
Sem imagem de perfil

De BF a 10.09.2010 às 11:41


ESTÁ DIVINAL!
usar e matar!! giro......
beijos mil
Imagem de perfil

De Closet a 11.09.2010 às 12:15

pois... mata-lo foi a única maneira de ficar com ele para sempre, freak enough! mas já sabes, a ideia está cá e gosto dela... mas já acho que está péssimamente escrito!! grrr!!
Sem imagem de perfil

De Diogo a 10.09.2010 às 21:42

Jesus!
Tenho medo de ti!!
vai soar a homem mas... "Agora que ainda sentia restos do teu corpo dentro do meu. "  FABULOSO!!!! O texto num todo, mas esta passagem levou os meus sentidos, a um canto escuro do quarto, a ver toda a cena...

Bjjj
Imagem de perfil

De Closet a 11.09.2010 às 12:26

Be scared...very SCARED!!!
A musica não é minha tststs mas é diabólica!!! Se gostaste da passagem posso fazer mais tentaivas na escrita erótica =D ...OMG :o) 
Olha, a ideia que tive ao ouvir a musica está cá...dava uma bela história de novela mexicana com direito a homicidio no fim, mas não me correu tão bem a esscreve-la, já descobri imensos erros... enfim, estou a precisar de começar o meu curso :)  kiss
Sem imagem de perfil

De Diogo a 11.09.2010 às 19:37

...no comments...mantém-te pelos romances atribuladosImage


 os erros, vão desaparecendo com a prática...não podes é deixar de escrever durante tanto tempo =D

bye bye, kiss

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2010

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930