Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



monofásico

por Closet, em 30.03.13

 

Esta semana tive de alterar o contrato da electicidade da minha casa, que, lucky me, está em meu nome. Como o mercado vai ser regulado, blablabla:

- ”Querida, tens de ligar para a edp”

…ok…

Parece que existem umas campanhas de descontos a circular pelas empresas fornecedoras. Ligo para a primeira e, depois de uma conversa de surdos com uma senhora simpática que me explicou que as campanhas divulgadas não servem para o perfil da minha utilização (três vivas ao marketing), apresentou-me, assim muito enfadada, as 2 possibilidades que eu tinha para aderir. 30 minutos depois e tinha a minha ficha feita à espera que eu ligasse de volta, depois de decidir a melhor alternativa no seio do meu lar.

Chego a casa radiante, debito as duas propostas ponto por ponto, vírgula por vírgula e … guess what?

- “Não interessa, querida, tens de ligar para a galp”

… ok…

No dia seguinte volto à carga, munida das facturas da electricidade e gás e já mais confiante no discurso.

- Boa tarde, em que posso ajuda-la?

- Eu quero mudar a electricidade e gás - respondi convicta.

Do outro lado, o rapazinho de voz anasalda entrou em modo gravador automático e disse algo semelhante mas com o triplo das palavras: “precisamos-de-gravar-as-chamadas-porque-isto-serve-de-contrato”.

Depois de “sim, concordo”, “sim, aceito”, “sim, autorizo” em modo repeat, lá iniciámos a nossa espécie-de-conversa.

- Quantos kvwhatever de consumo? Qual a potência contratada? Qual o número do contrato?

E eu com tudinho ali na factura-cábula! Confesso, senti-me a verdadeira expertise de electricidade.

Até que sai um disparo assassino assim do nada, como se estivéssemos a jogar trivial Pursuit, naquelas perguntas que não lembra o diabo.

- “E o seu contador é monofásico ou trifásico?”

- What?? Onde é que isso está na factura?

- Não está – respondeu a criatura, com um sorriso tal que se podia ver através do bocal o túnel cavernoso da sua garganta.

- NÃO está? – Protestei indignada – Pára tudo!

E foi assim que ele me venceu. Tive uma lavagem cerebral sobre as fásicas todas que existem: as mono, as bi, as tri e outras tantas que devem existir mas não se acusam…Não que me interessasse para alguma coisa, na verdade já não me lembro neste momento quais são as diferenças e para que servem. Mas fechei o contrato. E para que não houvesse dúvidas, ficou decidido que em minha casa habita um belo contador monofásico, em verdadeira comunhão com a minha ignorância, claro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:53

Charters de Greves

por Closet, em 07.04.11

 

 

 

Há uma palavrinha no dicionario à qual começo a ganhar verdadeira aversão: GREVE  « Interrupção voluntária e colectiva de actividades ou funções, por parte de trabalhadores ou estudantes, como forma de protesto ou de reivindicação.». Ora a esta bela definição falta acrescentar o seguinte: «causando transtorno e despesa para um monte de gente inocente e afundando ainda mais o país"... 

Admito, ESTOU FARTA DE GREVES... Têm sido às paletes, charters delas ... Ultimamente tenho gasto imenso tempo, paciência e dinheiro devido a estas estúpidas greves, e ainda não consegui perceber o que já conseguiram ou esperam vir a conseguir sem ser estragar as manhãs a uma quantidade de gente que não tem nada a ver com o assunto... para além de, claro, ajudarem brutalmente a brilhante produtividade do país que se encontra nos pícaros de uma economia falida...   Pois que lutem sim, com ou sem alegria, mas façam-no sem prejudicar os outros. E para não me considerarem "do contra" proponho outro tipo de greve, GREVE DE FOME. Esta, sim, é uma greve que só traz vantagens:

- Poupam dinheiro na comida

- Ninguém fica chateado com eles

-  Ficam em forma para o Verão que está à porta... (nessa greve até eu posso juntar-me solidária uns diazitos para ver se perco 5kgs até ao Verão).

Bom, é uma ideia que, com toda a certeza, será do agrado de todos...

Até lá, terei de apanhar amanhã a seca de 2h para chegar ao trabalho e, com um pouco de sorte, ainda levar uma multa da EMEL por meia dúzia de minutos pffff... ESTOU FARTA!

 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:38

Eu-professora - Take 2

por Closet, em 04.04.11

Hoje iniciei as aulas de voluntariado pela segunda vez (fica aqui o post do ano passado). Escolhi o mesmo programa  - a Comunidade - e consegui ficar numa escola muito perto de minha casa, not bad! São apenas 5 aulas a uma turma do 2º ano da primária onde pretendo falar-lhes de profissões, do trabalho em série vs o individual, das profissões do Estado, dos Impostos e de como circula o dinheiro (ou, nos dias de hoje, não circula!! uii, acho que vou saltar esta parte!)... bom... vou tentar!

E na primeira aula, assim levezinha, tinha como actividade fazer a caça às profissões, identificarmos negócios e profissões numa comunidade. Até aqui tudo bem... e para aquecimento é meu dever perguntar:

- "E vocês? sabem o que querem ser quando forem grandes?"... Dedos no ar e olhares ansiosos...- "ok, Luís podes responder" digo satisfeita. Resposta imediata e sorridente da criança:

- "Trolha"

... Ok... passei rapidamente para outra criancinha ao lado:

- " e tu Rui?"

-"Demolidor"... What?? 

- "Humm temos aqui um super-heroi" -  gracejei imaginando algo misturado entre o Homem Pedra e o incrível Hulk...

- Não... é demolir pedras grandes com máquinas" respondeu a criança muito séria...

Ok... perguntei se, por acaso, haveria mais alguém da turma a pensar trabalhar na construcção civil... para meu alívio não... deparei-me com profissões igualmente interessantes e de futuro assegurado como "detective", "futebolista", "cantora" e "massagista"... para não falar de "fórmula 1" que também é uma profissão corriqueira, bom, pelo menos tem adrenalina!!

Anyway... passou-se 1h30 do meu dia que valeu cada minuto, 23 criancinhas de olhos brilhantes pediram-me para não ir embora no final da aula, que tinha sido pouco tempo... e ainda não fizemos a aula da fábrica dos Donuts :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:29

Há dias loucos

por Closet, em 15.02.11

Tenho andado em maré de azar. É que tenho mesmo... Mas quando se chega a um limite absurdo, faço o que é melhor para a saúde: RIR... e vá, pronto, escrever!!

 

Take 1) Eu e os comboios

Ultrapassada a minha guerra com o maquinista (que mudou de horários, provavelmente só para não me ver... é possível)... ganhei novas inimizades a semana passada junto dos colaboradores da mesma empresa de transportes ferroviários...

4ªf de manhã vou carregar o passe. Depois de pagar sou simpaticamente alertada "olhe que vai haver muitas greves este mês"... pfff sentido de oportunidade do rapazinho esganiçado das bilheteiras... Dirigi-me aos torniquetes (que verdade seja dita, foi a coisa mais irritante que inventaram) e... "cartão inválido"... tento no do lado e... "cartão inválido"... pffff

Volto às bilheteira e gesticulo para o rapazinho "isto não dá"... ao que ele me gesticula abanando-se todo "Não pode fazer assim" e acena como se estivesse a limpar o pó... pffff... Acenei-lhe, já com os phones fora dos ouvidos e a minha cara 33 "EU SEI"... Lá me deixou passar à frente das pessoas na fila que me rosnaram graciosamente e vê o meu cartão na sua maquineta "Olha, não funciona... está morto...tem de pedir uma 2ª via no Cais do Sodré"... pffff...

Conto a história ao segurança para abrir os torniquetes, chego ao Cais do Sodré conto a história ao segurança para me abrir outros torniquetes... vou ao Cais do Sodré e... "ahhh isto está partido... mas como foi carregado no comboio tem de ser lá que pede uma 2ª via"... pffff... chego aos torniquetes do metro e aceno para me vir alguém abrir os torniquetes. O funcionário arrasta os pés tão devagar que cheguei a suspeitar que tinha chumbo nos sapatos... pfff... mostro-lhe o comprovativo do pagamento, conto-lhe a história e ele ensina-me que há uma campainha numa coluna para chamar o segurança na estação... Ok, passei...

Chego à minha estação... não há segurança à vista e procuro a dita campainha milagrosa. Carrego e... "Yes, abriu-se a porta"... vem disparado um segurança baixote (provavelmente escondido em complô para me irritar) e ainda diz "Não pode fazer isso, sabe que pode ser multada?"... Era mesmo o que me faltava, depois de ter pago o passe e andar naquele virote...pfff... blablabla e ao que parece carreguei no botão errado e ainda tive de levar com aulas sobre os botões que existem na coluna dos torniquetes... pfff

À tarde repito a história 4 vezes aos seguranças para me abrirem a  porta e ainda ouvi graçolas quando disse que o cartão morreu "ai sim? onde está a certidão de óbito"... pffff

5ª f volto vou aos guichés dos comboios e "ah e tal era os serviços do Cais do Sodré mas dos comboios" ahhhh... pffff... volto a repetir a história 2 vezes aos seguranças para me abrirem os torniquetes (e sim, pensei seriamente em munir-me de uma gravação) e vou directa aos serviços de apoio do cais do sodré, mas afinal era nas bilheteiras... "ah e tal tem de preencher o papel e tirar uma fotografia, tem uma máquina ali atrás. Depois de o tentar convencer sem sucesso que podia tirar uma foto como o meu telefone e envia-la alizinho digitalizada "no way"... Lá fui eu lançada para um cubículo daqueles ridículos tapados por uma cortina, insiro 5 euros por 4 fotografias lindas de morrer e volto para a bilheteira e entrego tudo ao homem com ar sonolento. "Ahh não posso aceitar isto" diz enquanto olha para as minhas fotografias... "What??"... só podia estar a gozar comigo, pensei... não sou propriamente uma manequim mas... comecei a protestar com o homem a dizer que não tinha culpa que as cores fossem desmaiadas, que a culpa era da máquina, blablabla (mas porque raio eu não pus blush naquele dia?? ) ao que a criatura me interrompe "não vê que as fotografias estão riscadas?"... "what???"... puxo dos meus óculos e observo de perto as ditas fotos, efectivamente com riscos na minha cara... ao que respondi logo "Não tenho culpa, a máquina estava vandalizada com grafitis..."... tststs "não posso aceitar isto, lamento"... repondeu o simpático mesmo depois de eu lhe dizer que trazia uma foto ao fim do dia, que mandava por email e que lhe deixava o meu nº de telefone tststs... "não posso aceitar, ahhh e não venha cá amanhã que estamos de greve"... pffff... confesso que desci as escadas de tal forma enraivecida que já não consegui falar com o segurança e simplesmente ordenei "abra-me os torniquetes" e acenei-lhe com o comprovativo do pagamento... passo por outra máquina fotográfica... tststs... lá arrisco nova fotografia (e dou por mim a limpar o vidro com um lenço de papel), volto ao guiché do simpático e entrego a fotografia com desprezo "veja se esta serve"... lá consegui o cartão de subtituição... pfff

 

Take 2) eu e os policias

 

6ªf a greve prometida... e eu também já tinha prometida uma multa por fazer uma transgressão num lugarzinho que há não um, mas dois traços contínuos... sinceramente é ridículo, aquilo há uns tempos não estava ali e ainda tentei na minha cabeça brilhante arranjar uma justificação igualmente brilhante para a mulher-polícia... mas não consegui: multa de 49 euros... bom, poda ter sido pior...

 

Hoje, greve outra vez magnífica de comboios, confusão total para chegar a Lisboa... atrasada mas ... cheguei... ponho dinheiro no parquímetro e vou deitar fora o que restou do temporal de ontem do meu chapéu de chuva. Mandei o dito para dentro de um caixote de lixo perto do carro e sigo para o trabalho.

Ao almoço vou para o restaurante mesmo ao lado do meu trabalho, almoço tranquilamente e, quando vou a pagar, cadê a carteira??... procura, procura (e não, não é nada pequena apesar da minha mala XL)... e Nada! "Deve ter ficado em cima da minha secretário" pensei... e voltei para o trabalho... cadê a carteira? Nada! Pensei, pensei... "e se eu a deitei para dentro do caixote de lixo?"... quem me conhece menos bem abanava a cabeça "impossível", enquanto a minha amiga disse logo "vamos ver"... fomos em busca do Caixote de Lixo perdido. Chego ao local e... cadê o caixote?? "alguém o levou", nesta altura a minha amiga já olhava para mim "helloooo??" Perguntámos pelo caixote de tampa castanha (sim, porque era um caixote diferente, eu reparei...e sim, comecei a sentir-me a Alice no País das Maravilhas....) nos restaurantes e cafés à volta e indicaram-me um local onde guardam caixotes de lixo "Aha... há um local ali onde escondem caixotes de lixo, é sempre bom saber!!"... Lá estava ele de tampa castanha e uma pega vermelha. A minha felicidade ao vê-lo foi tão grande como ver um parente que não se vê há anos... Abri-o e lá estava o meu chapéu que mostrei triunfante à minha amiga que, naquele momento, já estava convencida que era desta que eu tinha perdido os pirolitos de vez...

Escavámos com o bico do chapéu por entre pasteis de nata, rins e  queques em miniatura do dia anterior e... nada... até que o meu cartão do trabalho cai dentro do caixote ... balanço-me para dentro do caixote e, por momentos, os meus pés deixam de tocar no chão e quase quase que caía de cabeça para dentro do caixote... pfff

Passei uma tarde agradável na esquadra a fazer uma participação, repetindo pormenorizadamente os passos que dei no meu dia, incluindo as ídas à casa-de-banho (e não, eu não levei para lá a minha carteira...) e, mesmo sem mostrar qualquer interesse, fiquei a saber as histórias mais mirabolantes sobre a actividade profissional e lucrativa de "carteirista"... pfff

 

Resta-me lembrar da minha cabeça quase a aterrar em pasteis de nata para me rir...

E sim, sem um único documento de identificação sinto-me ... livre! Chamem-se Scarlet Johanson sim??

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:34

Eu-Matrix

por Closet, em 19.01.11

Sempre tive queda para actriz... bom, queda é a palavra já que passo a vida a cair... adiante.

Fiz de nuvem numa audição à séria e... muitos anos depois... já adulta e no mundo do trabalho... fui convidada a filmar uma espécie de Matrix misturado com o Relatório Minoritário... Um expécie, atenção... já que o estúdio era uma cave com 20 m2 atulhada de holofotes, os realizadores eram 4 homens pouco ou nada engraçados, o realizador principal parecia ser um assaltante de bancos à beira da reforma e... bom... não havia o Kenu Reeves ou o Tom Cruise para contracenar. Na verdade eu nem sequer precisava de contracenar, já que o objectivo era unicamente gestual... eu explico... era para um filme que vai passar numa reunião da empresa, whatever, que me pediram para ir lá filmar a manipular qualquer coisa que nem percebi bem ao telefone (e sim, eu sei que parece estranho, mas vindo de quem veio o convite-obrigação não achei perigoso)... eu, que sou dada às famas, lá fui bem mandada, de unhas arranjadinhas já que me íam filmar as mãos - WRONG . pois era da cabeça até á cintura... just great...

Começou bem a embirrarem com o meu cabelo, se não o costumava usar apanhado... nãooo... "é que parece branco aqui com as luzes" ... what??? lá rebusquei por toda a mala apinhada de tudo menos do que procuro e nada de elástico ou gancho... who cares, fiquem os cabelos brancos... siga.

Depois o enredo com a indicação clara "não precisa dizer nada"... ahhh... ok, simpáticos...

Na prática tinha de simular que estava a arrastar objectos no ar e a ler documentos no ar e a virar páginas no ar... pfff... na verdade, senti-me mesmo muito ridicula e com vontade de mandr aquilo ao ar ao fim da 4ª tentativa. Mas pronto, lá me aguentei 1h30 a seguir as indicações megalómanas do pseudo-realizador "carrega-arrasta para a direita-abre- passa a página- lê com espanto-passa a página - desliza o dedo, puxa para baixo-carrega" and so on...

E foi assim a minha matrixnhã!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:19

Mudei

por Closet, em 06.10.10

 

Não, não coloquei lentes roxas, nem voltei a usar as lentes azuis turqueza, nem as verdes...

Estes canto é que mudou, finalmente, de visual. Para mim foi como colocar umas lentes de contacto, para ver novas cores. Porque preciso também eu de... mudar. Não sei ainda bem em quê, nem como, nem quando. Mas precisava, também aqui, de uma mudança. Temos de começar por algum lado.

A fotografia é de um local onde adorei estar e para onde viajo nos momentos só meus, sempre que posso abstrair-me da realidade imagino-me lá, naquela rede com o mar à minha frente. 

Infelismente não consegui retirar lá mais em baixo o garfo e a colher de pau de template... so sorry... mas eu também gosto de cozinhar, e de comer...  ok, não tem nada a ver, mas pronto. Um Dia, adoro esta expressão.. na verdade até me dá voltas ao estômago... Um Dia vou conseguir criar um template, ok? Eu já vi uns sites giros, mas tem muita coisa para ler...até lá, fico por aqui, mesmo com a colher de pau se não se importarem, com a promessa que não irei publicar receitas de culinária!

Como podem ver, a Avatar emigrou comigo, linda e colorida... a sua cabeça é que ficou com os meus pés, no perfil, lamento, mas às vezes também pensamos com eles... é quando não pensamos de todo, ou agimos antes de pensar...

 

Voltando à mudança, tenho uma sensação mostruosa que a vida tem passado por mim a correr nos últimos tempos. Quase não tenho tempo para pensar nela. O inicio do ano lectivo com o regresso social dos meus filhos em festas non-stop, o meu curso de escrita que também é exigente, a rotina diária que me rouba "o dia", os meus compromissos sempre atafulhados ao minuto e as de horas de sono cada vez mais dinimuidas para conseguir dar asas aos meus pequenos sonhos e projectos pessoais... por vezes penso que vou rebentar. Ainda não foi hoje! Espero aguentar e escrever um conto para um concurso, tenho 1 mês... não faço a mínima ideia sobre o que hei-de escrever (HELP, aceitam-se ideias!)... mas vou participar!

 

E por falar em pensar ... este fim de semana fui a Coimbra ver os U2 (repararam na musica One a tocar??), foi a 1ª vez que os vi ao vivo e ADOREI. O concerto e a companhia. O palco 360º invade-nos o sentidos e todas as mensagens entranham-se na pele. O lugar, Coimbra, também faz todo o sentido para mim. Deixo-vos esta imagem, de entre muitas que atravessaram os meus olhos e abrigaram-se algures dentro de mim. "Is there a time? Are we at the begining?"... perguntas e mais perguntas, perturbadoras, inquietantes... esta deixou-me especialmente a pensar sobre o que é isto do "início"... "e se não houver tempo?" ele nunca existe, nem o incio, nem o fim. Bom... escrevinhei algo sobre isto num caderno e, pode ser, que coloque num post...

 

 

E isto tudo só para dzer que... MUDEI o VISUAL... só isso, sorry!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:56

Life in Snapshots

por Closet, em 28.09.10

 

 

esta foto é daqui e levou-me a pensar...

 

Posso avançar com algumas, deste Verão!

 

Que tenho e sempre tive dúvidas. Mas que detesto questionar-me. (Nem sempre as conclusões nos agradam).

 

Que vão existir sempre pedras no caminho. Passo-lhes por cima, por vezes caio (muitas!), mas levanto-me sempre. E como até de pedras eu gosto, tenho o vicío de apanhar algumas para me acompanharem diariamente.

Que gosto de estranhos, do diferente e aceito-o sem preconceitos.

  

Que acredito que nada se resume aos que os olhos vêem e o exterior mostra sempre tão pouco de nós.

O escuro, o rijo e áspero com farpas não me assusta, e toco-lhes com a suavidade de um beijo.

 

Que sinto sempre que o tempo foge-me por entre os dedos. Que nada é eterno e tudo se perde. Por isso vou-me agarrando ao que quero e como posso, e acredito que tudo o que preciso cabe mesmo na minha mão.

 

 

Que um por-de-sol na praia faz-me ridiculamente FELIZ.

 

 

Que um abraço apertado faz-me sentir GIGANTE

 

 

E que afinal a vida é mesmo "esta viagem" louca, desgovernada, e que para sermos felizes apenas nos devemos deixar levar.

 

 

De coração aberto, e sem grandes mapas, talvez conseguiremos chegar lá.

E então penso... por um instante demente, que UM DIA... Talvez, eu consiga deixar de ser tão estupidamente insatisfeita.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:59

Oro..quê?

por Closet, em 22.09.10

Há dias em que nos sentimos em baixo... eu confesso que ultimamente me tenho sentido particularmente em baixo...

Por isso hoje, num daqueles acessos de fúria, lancei-me para o mais óbvio - se não podes mudar o interior, tenta pelo menos o exterior - e lá fui eu para o cabeleireiro.

Não que considere o local especialmente aprazível... na verdade tenho uma espécie de alergia aqueles locais onde gasto 2h30 do meu tempo e ainda tenho de pagar por isso... Mas pronto, confesso que no final sinto-e melhor, mais arranjadinha e de cabelo LISO...isso sim, gosto!!

Engana-se também quem pensar que frequento sempre o mesmo cabeleireiro... nãaaa.... até prefiro não conhecer ninguém para evitar aturar aquelas conversas tipicas de novelas mexicanas (bom, elas conversam na mesma!) e vou sempre esperançada que me deixem sossegada a ler o livro e ouvir os phones.

Desta vez fui experimentar um cabeleireiro novo perto de casa, assim de decoração muito moderna, muito à frente, onde basicamente a montra somos... Nós (com pratas no cabelo, claro... coisa mai-linda!).

Mal entrei fui logo conquistada pelo recepcionista magricela que simpaticamente disse "querida, precisa de dar um jeito neste cabelo" pffff e arrematou com "Adoooooro esse seu telemóvel"... e pronto, lá aceitei ficar na sua bendita companhia até às 21h30 , mostrei-lhe todos os menus do meu telemóvel tão smart, tão smart que só não faz as coisas mais básicas,...adiante... fiquei, pronto.

Arranquei-lhe o telemóvel das mãos e fui sentar-me ladeada por duas "técnicas" que me enfeitaram o cabelo de pratas enquanto praguejavam a cada movimento que eu fazia "ah e tal não pode por os óculos, não pode ler, não pode por os phones.." grrrrr... meia-hora depois lá me deixaram empratada e tipo manequim de loja na vitrina a ler o meu livro sossegada.

Depois seguiu-se a lavagem e o tratamento de creatinina..WHAT?? Ok, ok, façam o que quiserem, venha lá dita substância pegajosa... e sem dar conta lá estava eu entre perguntas pertinentes sobre "onde é que comprou esses seus sapatos tãooo giros", conversas interessantes "que ainda tinha de ir e vir a Coimbra porque era bombeira voluntária e ía levar um utente, blabláblá"... e uma demonstração exaustiva sobre cuidados capilares e os produtos milagrosos para cuidar do cabelo. Sim porque o cabelo dela era isto e aquilo, assim e assado (era um pavor na realidade, ela devia ter miopia, mas ía acenando com meu ar mais enfadonho)... ahhgggg... cheguei a pensar simular um desmaio, ou algo mais dramático, mas tive receio que ainda me levasse também na camioneta dos bombeiros com o dito utente... seria demasiado embaraçoso sair dali com aquela "nhanha tinina" na cabeça. E isto tudo, veja-se, envolta em radares quentes tipo ovnis que pairavam à minha volta como holofotes... no delírio, cheguei a pensar se estaria a ter alucinações ou se aquilo era a 5ª Dimensão... 

Depois de tantas explicações sobre os champôs, cremes, óleos e seruns milagrosos da marca XPTO, lá acabei por levar um Oro...qualquercoisa que, ao que parece, faz milagres... "um elixir de beleza", "luxuria pura" e "deliciosa fragrância misturada com um toque de baunilha transporta-a à fascinação dos perfumes orientais"... este "transporte" pareceu-me bem, lá para os orientes... quem sabe!

Na verdade aquilo é um 20 e 1, faz tudo, tem vitamina E para fortalecer, tem óleo de linho para suavizar, proporcionando uniformidade e controlo... enfim... quase lhe perguntei se podia levar duas embalagens, e by the way espalhar pelo corpo todo e até quem sabe engolir um bocadinho... afinal aquilo dava-me jeito em várias partes do corpo, incluindo cá por dentro!! 

 

Anyway... estou blond ... Closet Blond :)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:57

Adoro-te à

por Closet, em 08.09.10

Distância...

 

 

Já tinha visto a apresentação mas só hoje, ao ver este cartaz, achei-o... estupidamente interessante e atractivo.
Não interessa que tenham mudado o sentido com a tradução do título... tststs... who cares?? Podia ser Adoro-te à paulada, à bofetada, às jolas e bolas de berlim... um mundo de ideias igualmente brilhantes.

Efectivamente quem lê pensa que os pobres coitados querem mesmo é estar distantes, ou até que se odeiam.... whatever...

Bom, quem tem esse tipo de interesses felinos, não vá ver este filme porque não é nada disto. Neste caso eles efectivamente vão ficar distantes, mas contrariados ... Já outros casos há em que, efectivamente, adoramos que certas pessoas se conservem longe, distantes e de preferência sem dar notícias, assim numa espécie de apagão de GPS social! Not bad :)

 

E depois, claro, há sempre aqueles que nós gostamos de manter por perto, mesmo que o filme seja uma estopada, que os dois não troquem um diálogo de jeito ou que seja um déjà vu de outro semelhante... who cares?? É o Ashton Kutcher, este eu não perco de vista!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:05

Sincronizar

por Closet, em 06.09.10

Não escondo de ninguém a minha aversão e impaciência para mariquices tecnológicas. Gostos dos gadgets, não propriamente de ler as instruções nas 5 línguas e vasculhar todos os menus disponíveis... nãaaa.... quando tenho uma mariquice tecnológica tenho um objectivo concreto em mente "faz isto" e o resto... don't care que demasiada informação atafulha o cérebro...

Mas vivemos num mundo tecnológico, e eu tenho um novo mp4 que estreei hoje. Ontem passei as musiquinhas todas e hoje ía confiante que aquilo funcionava, isto sem eu ler uma única página do livrinho em 5 línguas, don't care, vou clicando nos botões e aquilo começa a tocar. E tocou, de facto. Tocou 30 segundos de cada musica, era giro porque mal eu começava a gostar trázzz, ía para outra... Mesmo na eminência de ser atropelada, já que o estreei no percurso para ir ter com a minha amiga ao almoço, vocifrava contra aqueles 12 cm de arrogância cheio de menus com coisas esquisitas e gráficos de som e ... whatever que nem me interessa... basicamente eu queria aquilo a passar a musica inteira e em ordem aleatória... just it... very simple. Quero lá saber da luminosidade, do Playfix, do 3D...

Ao que parece tinha de o configurar, que é algo que eu também deduzo que esteja explicado nas letrinhas dos livrinhos de instruções em 5 línguas que eu não leio.

Mas detesto instruções, configurar e sincronizar... não sei o que detesto mais... (a propósito, também detesto portas automáticas, mas isso fica para outro post)

 

Também o meu telefone é smart, tão smart, tão smart que eu apago um contacto e ele vai e põe-o lá de novo, eu apago e passado um bocado está lá outra vez... não sei se é para chamar-me à atenção, dar nas vistas e mostrar-me que é muito inteligente... mas tem o terrivel defeito de sincronizar-se, assim, sem dizer nada... e lá tenho eu de levar com todos os contactos do FB na Lista telefónica, com as páginas de bandas, de editoras, com focinhos de cães e de gatos, com pés aos por do sol, pfff... uma panóplia de contactos que eu apago e... here it comes again... e chamam-lhe Smart! Give up...

SINCRONIZAR... é a palavra-chave que detesto... implica gerir ou fazer fluir multiplas tarefas ou acções para um mesmo lugar a fim de serem controladas ao mesmo tempo... qualquer coisa assim...

Na verdade, vendo bem, o conceito é até mesmo assustador... e neste momento sinto um verossimilhança enorme com a rotina diária, como seria bom des-sincronizarmo-nos de vez em quando e fazermos o que nos apetece sem mais nem porquês... como seria bom tirar o raio daqueles contactos sem cara do meu telemóvel grrr...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:48


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930