Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




se tudo o que sentíssemos

por Closet, em 18.09.14

 

 

Se tudo o que sentíssemos fosse amor.

Os olhos rasgavam as dúvidas escondidas e as mãos falavam soltas, sem pudor. 

Brilhava no escuro a ansiedade da pele arrepiada. E os lábios, sequiosos, raspavam-se selvagens, por instinto, para depois perderem-se pelo corpo, deslumbrados. 

Trocávamos em segredo as palavras invisíveis, que revelam as coordenadas de todos os sorrisos contidos. Sem horas, nem pressa. Vagueávamos, nómadas, cúmplices de cheiros e saliva.

Se tudo o que sentíssemos fosse amor.

A verdade era a nossa melhor fantasia. Inocente, genuína, impune de aspas e virgulas. 

Surgia em linhas curvas, assimétricas, sem ponto de chegada ou partida. Transbordava desejo, loucura, emanava euforia.

 

Deitados sobre a areia contemplamos o céu imenso, infinito. O crispar das ondas ao longe, a sua inevitável rebentação em espuma. Não sabíamos ao certo que horas eram, tão pouco distinguíamos o sol da lua. 

- Queres-me?- perguntas.

Se tudo o que sentíssemos fosse amor, esta pergunta não existia.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:19


1 comentário

Imagem de perfil

De Ametista a 17.11.2014 às 14:55

Maravilhoso,  querida Closet...
Beijinhos mil 

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930