Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fábrica de Histórias

por Closet, em 26.03.11

 

 

Primavera inventada

 

Foi ali, naquele lugar mágico, que foi inventada.

Onde as flores brotavam sorrisos fora dos canteiros, as árvores curvavam os braços para oferecer sombra e as conversas dos pássaros embalavam os nossos corpos espreguiçados na relva. O aroma de felicidade era disseminado num arco-íris de cores inebriantes, povoando os campos até perder e vista.

 

Foi inventada numa manhã onde se abria as portadas verdes ao céu imenso e o sol rompia brilhante pelos vidros da janela, aquecendo os nossos corpos desarrumados na cama. Beijavas-me o ombro suavemente e depois subias pelo pescoço. Como quem desbrava uma floresta densa, afastavas os meus cabelos para continuar, num trilho que percorrias demoradamente para me enlouquecer. E eu abria os olhos devagar, com medo que fosse um sonho do qual não queria acordar. Depois sorria extasiada, quando os meus olhos viam os teus. Agarrava o teu braço que me envolvia e abrigava-me no teu corpo como numa concha. Prisioneira de ti, onde eu sempre quis estar.

 

Foi assim que foi inventada, num alpendre soalheiro de jardim, quando bebíamos uma limonada fresca e falávamos entre risos e gargalhadas. Com aquele ar sério que tu não conseguias convencer ninguém, dizias que ias pescar um peixe enorme «assim, deste tamanho… o maior de sempre». E eu ria, fingindo acreditar que conseguias. Caminhávamos descalços na terra, pisando os trevos que cresciam em tufos pelo jardim. Procuravas sempre um de quatro folhas para mim «um dia encontro» sorrias. Depois, encostados a uma árvore gigante, deitava a minha cabeça no teu colo e olhava o céu deliciada. Não dizíamos nada, mas pensávamos como seria triste se tudo aquilo não existisse.

 

Foi inventada ao som dos pássaros a brincar entre os ramos, enquanto apanhávamos as maçãs já maduras para uma cesta de verga escura. Pegavas-me ao colo para eu chegar lá bem alto, àquela maçã que eu tanto queria e, quando estava quase, quase sempre caíamos. De propósito, eu sabia. E amuava zangada, só para me roubares aquele beijo apaixonado que não me deixasse qualquer dúvida do que sentias.

 

Foi num abraço mágico que ela foi inventada. Um abraço quente, apertado. Depois deslumbrou-se no olhar carente que se prendeu no meu. «Para sempre» pensei, tremendo, mas nunca te cheguei a dizer. As bocas renderam-se viciadas no ardor dos lábios, as línguas embriagadas, o sabor da pele. Desfloraram-se os corpos milímetro por milímetro. Amámos para além do prazer.

 

Chegou o Verão de repente e tu deixaste-me com um «Adeus» sumido, que me derrubou sem avisar. Partiste, sem eu perceber, e levaste as manhãs ancoradas no teu sorriso, na voz doce e quente, como o Verão que acabava de chegar. Num calor sufocante, aceitei sem questionar. A Primavera, a nossa, tinha acabado, para sempre, no dia exacto em que desististe de me amar.

 

Texto escrito para a Fábrica de Histórias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:32


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Diogo a 27.03.2011 às 14:17

Perfeito.

Imagem de perfil

De Closet a 28.03.2011 às 23:08

perfeito imperfeito xD 
kisses
Sem imagem de perfil

De Tiago a 27.03.2011 às 22:57

Mais uma vez a perfeição. A conjugação da escrita com a música é algo inexplicável. Parabéns =)
Imagem de perfil

De Closet a 28.03.2011 às 23:09

Obrigada, a músca é mesmo inspiradora, fiquei apaixonada quando a ouvi no Blog da minha colega Operária Amestista!
Bjs
Imagem de perfil

De viajanteintemporal a 28.03.2011 às 01:14

Bonito.
"Levaste as manhãs ancoradas no teu sorriso".
Um beijo


 
Imagem de perfil

De Closet a 28.03.2011 às 23:11

e agora as manhãs andam por aí à deriva em busca de um sorriso qualquer :)
Bjs
Sem imagem de perfil

De Natacha a 29.03.2011 às 17:54

olhando para trás, creio que foi esta a minha primeira "sintonia" com a Ametista, pois a música chegou-me assim que entrei no Blog e só depois li as palavras dos textos que me envolvem de uma forma especial e então compreendi, sinto uma grande afinidade com a Ametista e não a conheço de facto.
Acontece o mesmo agora aqui, embora de uma maneira algo diferente em que o resultado é basicamente o mesmo - a tua escrita envolve-me, é-me familiar, tocas fracções dos meus sentires e agora tens também esta banda sonora tão minha :)


Adorei o teu texto, obrigada pelo momento...


Um beijo
Imagem de perfil

De Ametista a 29.03.2011 às 19:21

Sabes que também sinto essa afinidade, Natacha? E também eu adoro vir aqui, ler as histórias da Closet é como elevar os meus sentidos até ao alcance das estrelas..
Obrigada pelo carinho.. obrigada às duas :)

Beijinho grande
Imagem de perfil

De Closet a 29.03.2011 às 20:21

Pssstttt... há o Facebook e E-mails.... eu conheço alguns bloggers e sinto-os mais meus amigos que muitas pessoas que vejo diariamente!! Quel tal se conhecerem??!!
Beijinhosss
Sem imagem de perfil

De Natacha a 29.03.2011 às 23:24

Partilho da tua opinião Closet. tenho grandes e bons Amigos, daqueles mesmo em que sei que posso confiar cegamente, e que conheci através da Internet por partilharmos alguns pontos em comum. Pessoas que ficam para a vida, que nos sabem mais do que muitos dos que todos os dias se cruzam conosco. Isto acontece, na minha opinião, porque quem está de forma transparente na net "atraí" quem está da mesma forma, e as sintonias tornam-se mais evidentes, o que, necessariamente nos aproxima. bem hajam todas estas grandes pessoas que estão na net desta forma... tão pura :)


Quem sabe um dia não marcamos algo sob o "pretexto" da Fábrica de Histórias :)


Beijinhos
Imagem de perfil

De Closet a 30.03.2011 às 01:55

Acho óptima ideia :) a escrita liberta-nos mas também nos une ;) bjs
Vai passando por cá!
Sem imagem de perfil

De Diogo a 31.03.2011 às 10:32

Presente!!

eheheh
Sem imagem de perfil

De Natacha a 29.03.2011 às 23:20

:) Confesso que tinha as minhas fortes desconfianças, ou melhor, fortes convicções, de que assim era! (sorrisos)


Obrigada eu, cá do fundo do coração ;)


Beijo grande
Imagem de perfil

De Closet a 29.03.2011 às 20:19

é verdade, esta música é estonteante... não descansei enquanto não descobri de quem era e já comprei várias dela no iTunes!! Eu inspiro-me sempre em múscias ou imagens! Mas como diz o meu professor de escrita "podemos escrever sobre quem não conhecemos, lugares onde nunca estivemos ou situações que nunca vivemos.... mas nunca podemos escrever sobre algo que nunca sentimos"... os sentimentos são sempre a alma dos textos :) é bom ter-vos por cá! Pena eu não conseguir seguir o Blogspot no meu dashboard, não percebo muito daquilo lá, mas vou perder um tempinho a tentar!
beijinhos
Sem imagem de perfil

De Natacha a 29.03.2011 às 23:27

É muito bom estar por aqui :)) É alimento para a Alma, sem dúvida.
A primeira música que conheci dos Fine Frenzy foi o "you picked me"... também me diz muito :)
O teu professor tem muita razão mesmo. Eu escrevo muito sobre saudades do futuro, por exemplo... se me faço entender...




Beijo grande, e sendo ou não seguidora, serás  sempre muito bem vinda ao tatuagens. obrigada por tudo :)


beijo
Imagem de perfil

De Ametista a 29.03.2011 às 19:16

Simplesmente linda a Primavera que inventaste, closet..
Gosto de vir ao teu cantinho.. sinto-me 'em casa'.. percebes-me..?

Um grande beijinho :)
Imagem de perfil

De Closet a 29.03.2011 às 20:23

Obrigada Ametista! Percebo-te e acredita que és bem recebida, com tudo a que tens direito! Entra sempre e faz de conta que a casa é tua :) eu também gosto do teu "canto"!
Beijinhos
Imagem de perfil

De ónix a 30.03.2011 às 00:02

E senti aquele arrepio ao ler-te. Maravilhoso. Sem mais comentários.
Abraço
Imagem de perfil

De Closet a 30.03.2011 às 01:57

Não fiques arrepiada please... ainda ficas com medo de cá voltar!! Um beijinho enorme!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Março 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031